TÍTULO ORIGINAL: The Princess Diarist
AUTOR: Carrie Fisher
GÊNERO: Biografia
EDITORA: Best Seller
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 222 (físico)

SINOPSE:..."Com seu humor perspicaz e impactante, a autora pondera sobre a alegria e a insanidade do mundo das celebridades, o absurdo de uma infância entre pressões e o glamour de Hollywood, e conta como conseguiu construir sua trajetória independente para se tornar a estrela de uma geração."...





Em Memorias da Princesa, Carrie Fisher demonstra que foi uma jovem típica, ou seja, com problemas com a família, com estudos, emprego e claro, com relacionamentos amorosos. Isso tudo enquanto se tornava um ícone do mundo nerd! 
É engraçado ver que uma atriz que povoou, e habita até hoje, nas fantasias sexuais dos mais nerds, chegou a ser considerada gorda e tinha uma infinita lista de complexos! O melhor é ver a visão dela, no auge da maturidade, sobre tudo isso. Ri muito com a perspicácia que ela demonstrava ter sobre esse fato.

Carrie Fisher e Harrison Ford

Sobre o romance mantido com Harrison Ford, só imagino como deve ter sido doloroso ter de fingir superar o fato, pois fica claro que ela não superou...bom, afinal estamos falando do Harrison Ford. Mas também imagino como foi libertador poder falar “Ah, o Harrison Ford? Já peguei”. Sabe aquele “boy” que você deu uns pegas, mas na época não podia espalhar porque não pegava bem? Para isso Deus fez a velhice! Aquela doce época da vida em que podemos falar tudo que vem na cabeça e o povo tem de engolir e ficar quietinho. O capitulo poderia começar com “Miga nem te conto...”, mas mesmo não começando assim, você se sente como se Carrie lhe confidenciasse aquela fofoca bafônica e você quer saber todos os detalhes! 


Eddie Fisher, Debbie Reynolds e Carrie

Fiquei um pouco chocada com a criação que ela teve, não sei porque mas eu achava que as antigas estrelas de Hollywood eram mais, digamos, sensatas. Filha de Eddie Fisher (Cantor de sucessos como "Thinking of you" e "Oh my pa-pa", na década de 1950) e Debbie Reynolds (atriz de Cantando na Chuva 1952 entre outros) que chegaram a ser considerados o casal queridinho da América, isso até o dia em que o pai se separou para ficar com a amiga da mãe, Elizabeth Taylor. A passagem que mais me chamou a atenção foi uma em que a mãe de Carrie, ao saber que ela aos 15 anos estava “ficando” com um dançarino gay de seu show, chega para a filha e diz: “Se você quiser transar com Albert, eu posso assistir para dar orientações”. Não tem como não ficar ao menos perplexa. 


Carrie, relata também, como é ser mulher em Hollywood. Mesmo que em nenhum momento ela se incline para o lado do feminismo, fica subentendido várias situações que poderíamos considerar, no mínimo, abusivas. 

Memória da Princesa - Os diários de Carrie Fisher é uma leitura que vale a pena pela descontração, leveza e bom humor com que Carrie relata suas experiências de como ela se tornou a Princesa Léia.
Não tem como não se tornar fã e, mesmo sabendo não ser mais possível, "shipar" o casal Carrison...

10 Comentários

  1. Perfeito Line! Quero ler! Não sou muito de biografias mas fiquei curiosa!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Re eu adorei!! Não sou maniaca por Star Wars, más é impossível não conhecer a personagem, e saber um pouco mais sobre a atriz que deu vida a ela é realmente encantador! ^_^

      Excluir
  2. Oi Line, tudo bem? Não vejo a hora do meu exemplar chegar! Sempre fui fã da Carrie Fisher, acho que ela foi uma mulher sensacional! E adoro a Princesa Leia <3 Quero saber desse romance com o Harrison Ford rsrsrrsrs Adorei a resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adorei Mi!! Não era tão fã dela, agora me sinto até culpada, rsrsrsrs Bjux

      Excluir
  3. Deve ser um livro incrível e eu adoraria ler, acho que irei comprar. ♥
    Art of life and books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei muito! Pena que é curtinho rsrsrsrs Dá vontade de saber mais... ^_^ Bjux

      Excluir
  4. Oiii Line

    Confesso que o livro nunca havia me chamado a atenção, mas achei interessante essa descontração que se é utilizada para narrar a vida da Carrie, e também estou chocada com isso da mãe, e óbvio que não tinha nem idéia de que a Liz Taylor se envolveu com o pai dela. Por mais que a escrita seja leve, dá pra imaginar que ela deve ter tido suas dores né?
    Feliz de saber que a Carrie consegue ganhar mais fãs, algumas pessoas deixam um legado que marca a gente em algum momento.

    Beijos

    Alice and the Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Alice, senti isso dela ter levado alguns fatos, que poderiam parecer traumatizantes e gerar altas neuras, até de uma forma boa. As vezes encaramos nossos erros como algo que nos define para sempre e ela demonstra que não é assim. Afinal somos seres em constante evolução!

      Excluir
  5. Oi! Apesar de não ter assistido a franquia, eu até leria o livro. Acho muito interessante ver o modo de vida de cada pessoa. Biografia me chama atenção. Bjos <3

    Click Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro biografias também, e confesso não ter muita paciência para assistir aos filmes, rsrsrsrs (por favor não me julguem)!!! Compreendo a importância cultural de Star Wars e isso me basta!! Bjux

      Excluir

Deixe seu comentário se gostou da postagem. Se não gostou, também pode deixar...