TÍTULO ORIGINAL: Moon Over Manifest
AUTORA: Clare Vanderpoll
GÊNERO: Ficção/Romance
EDITORA: Darkside
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 320

SINOPSEA protagonista de MINHA VIDA FORA DOS TRILHOS, Abilene Tucker, tem apenas 12 anos, mas é corajosa e impetuosa o suficiente para encontrar aventuras na pequena cidade de Manifest, Kansas, um fim de mundo para onde seu pai a enviou de trem a fim de passar o verão sob a tutela de um velho conhecido enquanto ele trabalha em uma ferrovia.
O que parecia ser o período mais solitário e entediante de sua vida ganha um novo e surpreendente rumo quando Abilene encontra uma velha caixa de charutos com cartas antigas e pequenas lembranças de outros tempos. Aos olhos curiosos da menina, a caixa se torna uma verdadeira arca do tesouro, onde segredos enterrados conectam dois momentos da cidade. A partir de então, o livro se divide em duas narrativas cronológicas: passado e presente se misturam, daquela maneira mágica que só um bom livro consegue contar.
Os acontecimentos vão da época da Primeira Guerra Mundial à Grande Depressão norte- americana dos anos 1930, com soberba fidelidade histórica que ajudam a construir esta narrativa de perda e redenção.



Olá pessoal! Estou postando menos em 2018 pois ando lendo em menor velocidade. Não estou deixando as leituras de lado, mas a preguiça anda reinando por aqui. O livro que trago hoje não foi surpreendente nem me deixou extasiada mas, para quem curte a escrita da autora, vale a pena.

Minha Vida Fora dos Trilhos traz a história de Abilene Tucker, uma garota de 12 anos, que foi enviada pelo pai, Gideon, a Manifest, uma cidade no interior do Kansas, para passar as férias de verão de 1936. Chegando lá, ela é encaminhada para a casa de Shady Howard, o pastor interino da igreja da cidade.

Chegando lá, encontra, escondido entre tábuas do chão de seu quarto, uma caixa com objetos e cartas do ano de 1918, pertencente a uma dupla de amigos, Ned e Jinx. Além disso, encontra também uma mapa de um espião chamado Cascavel, e assim, Abilene fica curiosa e começa a procurar pistas do espião e conhecer mais sobre a história de Ned e Jinx e, para isso, conta com a ajuda de suas mais novas amigas, Lettie e Ruthanne.

Por causa de uma dívida, Abilene começa a trabalhar para a vidente da cidade, a Sra. Sadie, uma húngara pra lá de estranha... porém, que a ajuda a entender e desvendar os mistérios dos objetos encontrados e da história da cidade de Manifest.

Conforme vai efetuando descobertas, ela começa a achar estranho o fato de seu pai tê-la deixado em Manifest para as férias de verão e ela foi obrigada a frequentar o último dia de aula e ter sido solicitada a fazer um trabalho para que fosse avaliada, já que não estaria mais na cidade quando as aulas retornassem. Então começa a achar que ele a abandonara para nunca mais voltar, mas é aí que ela se engana...




Para mim, foi um livro que se arrastou, que deu uma melhorada nas 50 últimas páginas, porém sem surpreender. A história é contada alternando os capítulos entre 1936 e 1918. A autora deixou o mistério do espião para as últimas 3 páginas e fechou bem história, com um final água com açúcar.

Não foi das minhas leituras preferidas mas fica a dica para fãs do gênero.

Beijos e até a próxima! 

4 Comentários

  1. No Brasil o ano só começa depois do carnaval. Já já retoma a "velocidade" na leitura. 👍

    ResponderExcluir
  2. Oi Renata, tudo bem?
    Ainda não conhecia esse livro, valeu pela dica!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário se gostou da postagem. Se não gostou, também pode deixar...