#Resenha 23/2020 - Verity - Colleen Hoover

TÍTULO ORIGINAL
: Verity
AUTORA: Colleen Hoover
GÊNERO: Thriller psicológico
EDITORA: Galera Record
ANO DE LANÇAMENTO: 2020
NÚMERO DE PÁGINAS: 320

SINOPSEO amor é capaz de superar a pior das verdades?
Verity Crawford é a autora best-seller por trás de uma série de sucesso. Ela está no auge de sua carreira, aclamada pela crítica e pelo público, no entanto, um súbito e terrível acidente acaba interrompendo suas atividades, deixando-a sem condições de concluir a história... E é nessa complexa circunstância que surge Lowen Ashleigh, uma escritora à beira da falência convidada a escrever, sob um pseudônimo, os três livros restantes da já consolidada série.
Para que consiga entender melhor o processo criativo de Verity com relação aos livros publicados e, ainda, tentar descobrir seus possíveis planos para os próximos, Lowen decide passar alguns dias na casa dos Crawford, imersa no caótico escritório de Verity – e, lá, encontra uma espécie de autobiografia onde a escritora narra os fatos acontecidos desde o dia em que conhece Jeremy, seu marido, até os instantes imediatamente anteriores a seu acidente – incluindo sua perspectiva sobre as tragédias ocorridas às filhas do casal.
Quanto mais o tempo passa, mais Lowen se percebe envolvida em uma confusa rede de mentiras e segredos, e, lentamente, adquire sua própria posição no jogo psicológico que rodeia aquela casa. Emocional e fisicamente atraída por Jeremy, ela precisa decidir: expor uma versão que nem ele conhece sobre a própria esposa ou manter o sigilo dos escritos de Verity?



Olá pessoal!!!! Esse é o segundo livro que leio da autora, e o livro de suspense de estreia dela. Eu já havia gostado muito de O Lado Feio do Amor, e esse... nossa... eu amei! Devorei em dois dias. Ela não deixou a desejar.

Lowen é uma escritora de suspense que não gosta de holofotes. É reclusa, não faz sessões de autógrafo nem participa de feiras. E tem seus motivos. Não é rica e tem vezes que não acredita muito em sua escrita. Certo dia, recebe um convite para uma reunião com seu agente onde descobrirá qual será seu novo trabalho.

A proposta é dar continuidade a uma série de livros escrita por Verity Crawford, uma escritora muito famosa, que sofreu um acidente e está inválida em uma cama. Ela aparecerá como co-autora para que se mantenha a privacidade de Verity, e para que ninguém saiba de sua situação verdadeira. Lowen fica surpresa com a proposta, mas aceita pois precisa de dinheiro, porque acabou de ser despejada de seu apartamento. Atraída pelo marido de Verity, Jeremy, que também estava na reunião e com quem já tinha tido um encontro inusitado minutos antes, ela se hospeda temporariamente na casa deles e começa a vasculhar anotações e manuscritos em seu escritório para dar um fim digno à série tão aclamada.

#Resenha 22/2020 - O Mundo de Sofia - Jostein Gaardner

TÍTULO ORIGINAL
: Sofies Verden
AUTOR: Jostein Gaardner
GÊNERO: Romance filosófico
EDITORA: Companhia das Letras
ANO DE LANÇAMENTO: 1991
NÚMERO DE PÁGINAS: 560

SINOPSEÀs vésperas de seu aniversário de quinze anos, Sofia Amundsen começa a receber bilhetes e cartões postais bastante estranhos. Os bilhetes são anônimos e perguntam a Sofia quem é ela e de onde vem o mundo em que vivemos. Os postais foram mandados do Líbano, por um major desconhecido, para uma tal de Hilde Knag, jovem que Sofia igualmente desconhece.
O mistério dos bilhetes e dos postais é o ponto de partida deste fascinante romance, que vem conquistando milhões de leitores em todos os países em que foi lançado. De capítulo em capítulo, de “lição” em “lição”, o leitor é convidado a trilhar toda a história da filosofia ocidental – dos pré-socráticos aos pós-modernos -, ao mesmo tempo em que se vê envolvido por um intrigante thriller que toma um rumo surpreendente.



Olá pessoal! Ganhei esse livro da minha tia, em 1996, quando tinha 17 anos. Na época, confesso que foi um livro um tanto quanto maçante para mim, ainda mais por eu não ter sido uma aluna exemplar em Filosofia, no colégio. Demorei muito para ler (acho que meses...) e penso que, apesar de ter adorado a história (pela sua reviravolta), não absorvi o que realmente era necessário. Essa releitura, 24 anos depois, foi querida e necessária. Não foi rápida (mais de 20 dias), mas também, esse não é um livro feito para se devorar, tem que ser lido com calma, refletindo sobre cada capítulo.

Sofia Amundsen é uma adolescente norueguesa prestes a completar quinze anos e, certo dia, ao voltar da escola, recebe em sua caixa de correios uma carta um tanto quanto estranha, sem remetente, onde está escrito: "Quem é você?". Daí então, começa a receber várias cartas e envelopes de um professor de filosofia, ao mesmo tempo que recebe cartões postais vindos do Líbano, que não são para ela, apesar de serem endereçados a ela. Os postais são para Hilde Knag, encaminhados por seu pai, para que Sofia os entregue.

#Resenha 21/2020 - Darwin Sem Frescura - Pirula/Reinaldo José Lopes

TÍTULO ORIGINAL
: Darwin Sem Frescura
AUTORES: Pirula/Reinaldo José Lopes
EDITORA: Harper Collins
ANO DE LANÇAMENTO: 2019
NÚMERO DE PÁGINAS: 256

SINOPSEEm uma viagem por Eras, continentes, nascimentos e extinções, dois brasucas nerds nos convidam a um mergulho na teoria da Evolução com as mais modernas e variadas descobertas científicas já feitas na história. Com a leveza e descontração de que só quem entende do assunto é capaz, os autores Reinaldo e Pirula respondem questões das mais diversas que, de algum modo, se relacionam à teoria mais importante da biologia. Afinal, existe um elo perdido? De onde veio a nossa espécie? A humanidade está em processo de extinção? Por que irlandeses têm mais tolerância à lactose do que chineses? Por que leões matam filhotinhos? Como a Evolução explica a existência da homossexualidade? E o mais importante: sou fresco por não gostar de brócolis?




Olá pessoal!!!!! Hoje trago uma leitura que, para mim, foi uma experiência totalmente nova, não só pelo gênero mas também por ter sido feita junto com minha amiga/vizinha/leitora Margaret (já citei ela aqui no blog, pois já fizemos outra leitura conjunta). Foi muito bom pois além de ela ser uma fera e uma professora super competente, me trazendo conhecimentos pacas, o modo como fizemos a leitura ajudou a fixar mais o conteúdo. E foi por influência dela que tive vontade de ler esse livro e diversificar meus gêneros literários.

Bem, o assunto abordado é a Teoria da Evolução de Darwin, que ainda encontra resistência entre alguns. Resistência essa que vem pois mexe com ideias que adquirimos ao longo de nossa vida, vinda de pais ou da sociedade. A proposta do livro é apresentar conceitos da teoria em uma linguagem mais próxima possível da popular. Apesar de que, euzinha, não achei tão popular assim, encontrei nele termos técnicos demais em que viajei bonito. Mas ao mesmo tempo, me remeteu e fez lembrar de coisas que aprendi em aulas de Biologia no colégio. 

Eles mostram alguns conceitos sociais que podem ser explicados pela evolução de nossa espécie, dentre eles o homossexualismo, que foi tema de muita discussão entre eu e minha amiga. Abordam temas atuais, tentando fazer a correlação do que acontece hoje com o que aconteceu com nossos queridos ancestrais longínquos, demonstrando nosso parentesco até com os dinossauros.

#Quando dá vontade de escrever - Esses tempos de merda...



Eu e minha necessidade de escrever... e nesses tempos de pandemia, isso vem mais forte ainda. Nem sempre os textos saem bons e coerentes, mas é positivo tentar colocar em palavras o que a gente sente.

Estou triste sim por ter que me afastar de pessoas que amo, não poder abraçá-las com a frequência de antes, ter aquela convivência e interação. Às vezes me revolto, pois tudo isso foi imposto, e nem sempre regras são bem aceitas, apesar de termos que respeitá-las. Meu psicológico, que já não era bom, ficou pior, pois ficar dentro de casa, trabalhando, cuidando de filho, tendo que ajudar nos estudos dele, cuidar da alimentação de todos, ter que fazer faxina (pois dispensei minha auxiliar, apesar de continuar pagando), me sobrecarregou, e minha ansiedade piorou. Tenho crises que não tinha antes, e isso abala todos que estão ao meu redor.

Mesmo assim, sei que esse afastamento é necessário por motivos que nem preciso listar aqui, pois todos já estão cansados de saber. Só fico muito desconfortável com toda a discussão que as diferentes posições de cada um geram e o “mimimi” nas redes sociais. Fico desconfortável porque, ao invés disso, seria melhor tentar se preocupar com o seu próximo. Você não gosta de usar máscara? Eu também não, mas é PRECISO usar para não contaminar o outro. Você não gosta de ficar trancada em casa? Eu também não, mas NESSE MOMENTO, não tem outro jeito, É NECESSÁRIO para não sobrecarregar o sistema de saúde que não tem só o COVID-19 para atender.

Eu confesso que tenho sentimentos ambíguos, uma hora quero que tudo reabra e que se dane, tem horas que não quero sair de casa, pois tenho um medo lascado de contrair essa doença e passar para os meus. Mas acho que está tudo bem se sentir assim. Nada está normal mesmo... Eu choro muito, querendo que isso termine e voltemos a ter nossas vidas livres e sem essa ameaça de merda. É horrível se sentir em perigo 24 horas por dia.

Devemos aproveitar esse momento para refletir? Siiiiiimmmm!!!!! Sobre o que fazemos para melhorar o mundo, sobre como ajudamos o próximo até agora, sobre mais amor. Aproveitar também para se conhecer melhor, pensar em suas atitudes, verificar o que vinha fazendo de certo e de errado. Se estamos nos cuidando o suficiente, não só do físico, mas também do mental. Se o que ou quem colocamos tanta importância deve realmente ser objeto de tanta preocupação. Se devemos dar importância a certas coisas que outros fazem conosco. Enfim... Só temos que tomar cuidado para não pirar rsrsrs. Vamos torcer para que essa fase horrível passe logo.


#Resenha 20/2020 - O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida - Kate Eberlen

TÍTULO ORIGINAL
: Miss You
AUTORA: Kate Eberlen
GÊNERO: Romance
EDITORA: Arqueiro
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 432

SINOPSETess e Gus foram feitos um para o outro. Só que eles não se encontraram ainda. 
E pode ser que nunca se encontrem... Tess sonha em ir para a universidade. Gus mal pode esperar para fugir do controle da família e descobrir sozinho o que realmente quer ser. Por um dia, nas férias, os caminhos desses dois jovens de 18 anos se cruzam antes que os dois retornem para casa e vejam que a vida nem sempre acontece como o planejado. 
Ao longo dos dezesseis anos seguintes, traçando rumos diferentes, cada um vai descobrir os prazeres da juventude, enfrentar problemas familiares e encarar as dificuldades da vida adulta. Separados pela distância e pelo destino, tudo indica que é impossível que um dia eles se conheçam de verdade... ou será que não? 
O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida narra duas trajetórias que se entrelaçam sem de fato se tocarem, fazendo o leitor se divertir, se emocionar e torcer o tempo todo por um encontro que pode nunca acontecer.



Olá pessoal! Que livro adorável. Um romance um pouco diferente do que estamos acostumados a ler. Por quê? Porque os protagonistas não se conhecem... 

Tess e Gus se esbarram, um dia, na Itália, onde ambos estão de férias. Ela, com amiga Doll, e ele, com a família. Tess estava prestes a ingressar na universidade e Gus tinha perdido seu irmão há poucos meses. 

Assim que volta de viagem, Tess encontra a mãe muito doente. Em pouco tempo, ela falece e Tess tem que lidar com a perda e cuidar da irmã mais nova, Hope, abrindo mão do sonho de estudar. Gus vai estudar medicina, apesar de não ser essa a sua vontade, se instala em uma república estudantil e conhece Lucy, com quem namora muitos anos. 

Os anos passam e vamos acompanhando a vida desses dois que, ao longo do livro, percebemos o quanto são parecidos. Conforme o tempo vai passando, vamos sentindo que eles precisam se reencontrar. Por muitas vezes, eles estavam nos mesmos lugares mas não se esbarravam. E o leitor vai torcendo mais e mais para esse encontro acontecer logo! 

Muitas coisas acontecem até o final do livro. Dezesseis anos se passam e assistimos o amadurecimento dos dois (a duras penas...), suas conquistas, alegrias, momentos de tristeza e superação. 

Identifiquei-me muito com Tess em vários aspectos, e por isso o livro foi tão marcante e emocionante para mim. Sofro de algumas das mesmas neuras dela, dentre elas, o fato de ter histórico de câncer de mama na família, com mãe e avó materna que tiveram a doença, mas que, no meu caso, graças a Deus, superaram. Em várias passagens da história percebi que já me senti igualzinho a Tess. Acho até que poderia substituir o nome dela por Renata... rsrsrs 




Chorei no final do livro. Apesar de já imaginar algumas coisas, a descrição da autora nas cenas finais foram tão perfeitas, tão românticas, que foi difícil segurar as lágrimas. 

Será que realmente existem almas gêmeas? Quando vidas estão marcadas, o destino se encarrega de uni-las? Eu não acredito em coincidências e penso que, de alguma forma, pessoas que encontramos pela vida, são previamente escolhidas para isso e tem um propósito. Às vezes é difícil achar o motivo de você se envolver com alguém, ainda mais se esse encontro aconteceu por caminhos tortuosos, mas alguma lição você deve tirar disso. 

Além de ser uma linda história, é muito reflexiva, nos fazendo questionar o valor de nossas atitudes e escolhas. Leitura mais do que recomendada! E o mais maravilhoso ainda, é que foi gratuita! Baixei o ebook na Amazon, em uma oferta relâmpago. 

Beijos e até a próxima!!!!!!

#Resenha 19/2020 - O Vilarejo - Raphael Montes

TÍTULO ORIGINAL
: O Vilarejo
AUTOR: Raphael Montes
GÊNERO: Terror
EDITORA: Suma de Letras
ANO DE LANÇAMENTO: 2015
NÚMERO DE PÁGINAS: 109

SINOPSEEm 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.
As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.



Olá pessoal! Gente, QUE LIVRO!!!! Foi meu primeiro contato com Raphael Montes, estava ensaiando ler esse livro há um tempão e com certeza ele não deixou minha quarentena passar em branco... Mais um terror nacional de peso (apesar de o livro ser bem fino, de poucas páginas).

Onde existe a maldade no ser humano? Ela é inata ou precisamos de um incentivo para que demonstremos nosso lado mais sombrio? Ou estamos sujeitos a interferências externas que nos mudam de alguma forma e nos levam a praticar atos detestáveis?

O livro consiste em sete contos, todos interligados, que contam a história, não de uma forma cronológica, de um já inexistente vilarejo. No prefácio, o autor nos conta que foi o tradutor dos contos, originalmente escritos em cimério, por uma senhora chamada Elfrida Pimminstoffer. Recebeu os cadernos dela de um amigo, sócio de um sebo no Rio de Janeiro.

Cada conto nos traz em seu título o nome de um demônio (vou acabar ficando expert nesse assunto) responsável por invocar um diferente pecado capital. Dessa forma, cada conto nos traz a história de algum habitante do vilarejo, em que é despertado um pecado capital.

#Resenha 18/2020 - Lacrymosa - Juliana Daglio

TÍTULO ORIGINAL
: Lacrymosa
AUTORA: Juliana Daglio
EDITORA: Bertrand Brasil
ANO DE LANÇAMENTO: 2019
NÚMERO DE PÁGINAS: 602

SINOPSEDotada de um poder misterioso que sempre considerou como uma maldição, Valery Green não é uma detetive comum. Quando ela e seu parceiro, Axel, são chamados a investigar o desaparecimento de um pai e sua filha, o lado mais sombrio do passado de Valery ameaça encontrá-la e envolvê-la em uma trama repleta de horrores, mistérios e intrigas.


Olá pessoal! Duas semanas para ler esse livro todo. Como não é um gênero que estou a costumada a ler, fico confusa com tantos detalhes não familiares, que tenho que ler com muita calma, e ainda estava intercalando com outra leitura... Obra nacional, a autora é formada em psicologia e, realmente, a história mexe com nosso psicológico. Apesar de não ficar com medo lendo esse tipo de livro, algumas passagens mexeram comigo.

Lacrymosa é uma história de terror demoníaco, com padres, exorcistas, magos e bruxas. A protagonista, Valery Green, com apenas 16 anos, teve que mudar de nome e endereço, deixando sua família para trás sem dar explicações, para que eles pudessem viver em paz, pois o mal a assombra aonde quer que ela vá.

Valery tem visões e é afetada por demônios e, por isso, decidiu começar nova vida e hoje, já adulta, é policial na cidade de Darkville, onde é reconhecida por sua frieza e competência. Ela e seu parceiro, Axel, são chamados para investigar o caso de uma garotinha e seu pai desaparecido, e é a partir daí que seu passado começa a vir à tona.

As forças do mal avançam. Mortes de policiais, rituais satânicos, pactos com o diabo: há muitas formas de o Demônio chegar mais perto de onde ele quer chegar. Aliás, existe uma hierarquia das forças do mal, aquele que é mais poderoso, e qualquer personagem dessa história está sujeita a ser tomada por suas forças.
Topo