TÍTULO ORIGINAL: Persépolis 1, 2, 3 e 4
AUTORA: Marjane Satrapi
GÊNERO: HQ/autobiografia
EDITORA: Comapanhia das Letras
ANO DE LANÇAMENTO: 2007
NÚMERO DE PÁGINAS: 352


SINOPSE: Marjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do Regime Xiita, apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa.

Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares.

Em Persépolis, o popular encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor se infiltra no drama, e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar.



Olá pessoal! As histórias ocorridas no Oriente Médio sempre me pareceram confusas e é difícil para mim entendê-las até hoje. Por isso me interessei por essa HQ que, de uma forma bem didática, me ajudou a entender um pouco mais sobre os conflitos que acontecem naquela região. Persépolis é uma autobiografia de Marjane Satrapi, que conta a trajetória de sua infância, adolescência e início de sua vida adulta durante a revolução islâmica, sua independência e que desde muito nova, teve que lidar com as consequências dessa guerra religiosa.

Em sua fase infantil, Marji teve dificuldades em lidar com as mudanças pela sua falta de entendimento com o que estava acontecendo.Vendo os horrores acontecendo, tantas pessoas morrendo, ela queria ser profeta para resolver todos os problemas do mundo.

Na adolescência, os pais a mandaram para viver na Áustria, tentando salvá-la dos absurdos da vida no Irã. Mas não foi uma boa experiência para ela, ela se viu totalmente deslocada, sozinha em um país diferente e sem amigos. Chegou a morar na rua. Depois de muito sofrer e finalmente achando que se encontrou, ela quer voltar à terra natal, mas encontra um país devastado. Entretanto, contando com a vantagem de que nascera em uma família com recursos para proporcioná-la boa instrução e conforto, ela conseguiu superar a tristeza dos anos passados longe de casa.





É uma história pesada mas extremamente rica em cultura. Para mim foi um belo aprendizado onde pude ter contato com mais detalhes sobre o que realmente acontece naquela região tão sofrida do mundo, principalmente para as mulheres. Eu achava que só a obrigação de andar totalmente coberta já era um absurdo porém há muito mais que isso. O mínimo fora da linha, a mulher já é considerada uma prostituta...

Se você busca perfeição de imagens gráficas, essa história em quadrinhos não é para você mas se procura conteúdo e uma história emocionante, pode ler sem medo que não vai se arrepender.

Espero que tenham gostado da dica pois eu recomendo muito!!!!

Ah, e tem animação, que foi lançada em 2008 que quero muito assistir. Segue o trailer:





Beijos e até a próxima!!!!

4 Comentários

  1. Olá Renata!
    Adorei a a indicação que vc deu nesta resenha.. HQ's é uma espécie de arte que surpreende. Consegue trazer histórias tão densas de forma mais leve.
    Com certeza lerei!!
    Obrigada pela dica e continue tendo ótimas leituras!!

    Ritchelly - Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  2. Ainda não conhecia a obra, gostei muito da sua resenha :D

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá rê!!!
    Não sou muito de ler HQ's mas me interessei muito por esse livro! Parece ser fácil a sua compreensão e tenho visto muitos comentários positivos sobre ele :)
    Beijinho

    EVENTUAL OBRA DE FICÇÃO

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário se gostou da postagem. Se não gostou, também pode deixar...