A Carta Roubada - 1845















Olá pessoal! Hoje é domingo e, apesar de não estar fazendo com a frequência que eu gostaria, vou falar sobre mais um conto de Edgar Allan Poe, que faz parte da edição da Darkside maravilhosa e fecha o grupo de contos do detetive C. Auguste Dupin.

A história começa com o sumiço de uma correspondência importante e que tem o poder de abalar os nervos dos mais importantes da realeza. Por isso, um comissário é acionado para descobrir o que aconteceu com a carta e então, descobre-se que um importante ministro foi o meliante e está usando o documento para fazer algum tipo de chantagem ou para ter mais poder.




O comissário decide fazer uma busca minuciosa na casa do ministro mas não encontra o paradeiro da carta. Então, ele decide fazer uma visita a Dupin, para tentar obter alguma ajuda no caso. Dupin não deixa barato, e faz questão de informar o comissário de que os métodos que ele está utilizando para encontrar a correspondência não estão corretos ou são insuficientes. Ah, e toda a resolução desse mistério deveria ser feita sem divulgação pois isso poderia prejudicar a honra da vítima, de quem Dupin era partidário e tinha especial interesse em ajudar.

Não vou contar mais aqui pois senão seria spoiler. Mas o autor deixa uma mensagem com esse conto: às vezes, a resposta está no óbvio e no simples, e que para descobrir o que queremos, em certos casos temos que pensar como nossos adversários.

Beijos e até a próxima!



Deixe um comentário

Deixe seu comentário se gostou da postagem. Se não gostou, também pode deixar...