TÍTULO ORIGINAL: The Pillars Of The Earth
AUTOR: Ken Follett
GÊNERO: Romance histórico
EDITORA: Rocco
ANO DE LANÇAMENTO: essa edição é de 2012. O livro foi lançado em 1992.
NÚMERO DE PÁGINAS: 941

SINOPSEUm mergulho na Inglaterra do século XII e na construção minuciosa de uma catedral gótica. Emocionante, complexo, pontilhado de coloridos detalhes históricos, "Os Pilares da Terra" traça o painel de um tempo conturbado, varrido por conspirações, jogos intrincados de poder, violência e surgimento de uma nova ordem social e cultural. A figura que melhor expressa os ideais que inspiraram Ken Follett a escrever este livro é Philip, prior de Kingsbridge, um homem que luta contra tudo e todos para construir um templo grandioso a Deus. Mas a galeria de personagens que gravitam em torno da catedral inclui Aliena, a bela herdeira banida de suas terras, Jack, seu amante, Tom, o construtor, William o cavaleiro boçal, e Waleran, o bispo capaz de tudo para pavimentar seu caminho até o lugar do Papa, em Roma. Como painel de fundo, uma Inglaterra sacudida por lutas entre os sucessores prováveis ao trono que Henrique I deixou sem descendentes. Épico que consegue captar simultaneamente o que acontece nos castelos, feiras, florestas e igrejas, "Os Pilares da Terra" é a recriação magistral de uma época que nossa imaginação não quer esquecer.


Olá pessoal, tudo bem com vocês!!! Depois de um recesso aqui no blog, estamos de volta com o primeiro post de 2018, e em grande estilo! A resenha que trago para vocês é de uma obra prima de Ken Follett, Os Pilares da Terra.

Foram 18 dias de leitura (comecei a lê-lo em 28/12/17) que me inebriaram com romance, amor, obsessão, egoísmo, ambição, guerras, religião. São 941 páginas que contam a história que gira em torno da construção da catedral de Kingsbridge, e se passa entre os anos de 1123 a 1174, e está dividido em seis partes.

Tom Construtor tem seu trabalho perdido, a construção da casa onde morariam o casal William e Aliena, pois a noiva rejeitou o pretendente. William é uma pessoa perversa e dispensou os trabalhadores da obra sem dó. Com isso Tom se viu perdido e se pôs a peregrinar com a família em busca de um novo trabalho, mas que realizasse o seu sonho: o de construir uma catedral. A mulher de Tom está grávida e isso faz com que ele não desista nem um momento sequer, mesmo recebendo muitas negativas.

Depois de muita água rolar, Tom consegue o emprego de construtor no priorado de Kingsbridge e finalmente inicia a construção do seu sonho. Em paralelo, o autor nos conta a história de Phillip, um padre que é nomeado prior de Kingsbridge, tendo sua vida cruzada com a de Tom. Ainda temos os Hamleigh, família ambiciosa a qual William pertence, desesperado por vingança contra o conde de Shiring, de quem Aliena é filha.




A história possui  muitos personagens e o autor é extremamente descritivo, o que faz, em alguns momentos, o livro cansativo. Em compensação, existem partes em que você não quer largar o livro, visto o rumo tomado pelos personagens.

Apesar de ser uma obra fictícia, são mostrados fatos históricos reais que não vou descrever aqui pois seria spoiler.

Com temas religiosos, políticos, os dramas pessoais e familiares passados pelos personagens, Os Pilares da Terra é uma obra maravilhosa, que me distraiu e me fez passar algumas tarde, noites e madrugadas grudada nele durante as minhas férias. Leitura mais do que recomendada mas preparem-se para passar muita raiva com os vilões dessa história!!!!

Beijos e até a próxima!!!!

Deixe um comentário

Deixe seu comentário se gostou da postagem. Se não gostou, também pode deixar...