TÍTULO ORIGINAL: The Cycle Of The Werewolf
AUTOR: Stephen King
GÊNERO: Terror
EDITORA: Suma de Letras
ANO DE LANÇAMENTO: Essa edição linda é de 2017 mas o livro é de 1983
NÚMERO DE PÁGINAS: 152

SINOPSEUMA CRIATURA CHEGOU A TARKER’S MILLS. AHORA DELAÉAGORA, OLUGARDELAÉAQUI
O primeiro grito veio de um trabalhador da ferrovia isolado pela neve, enquanto as presas do monstro dilaceravam sua garganta. No mês seguinte, um grito de êxtase e agonia vem de uma mulher atacada no próprio quarto. Agora,a cada vez que a lua cheia brilha sobre a cidade de Tarker’sMill, surgem novas cenas de terror inimaginável. Quem será o próximo? Quando a lua cresce no céu,um terror paralisante toma os moradores da cidade. Uivos quase humanos ecoam no vento. E por todo lado as pegadas de um monstro cuja fome nunca é saciada. Um clássico de Stephen King,com as ilustrações originais de Bernie Wrightson.



Olá pessoal! Novamente o mestre King presente aqui no blog! Muito amor por esse cara! E nada mais justo do que publicar uma resenha de um livro dele HOJE que é seu aniversário de 70 anos!!!! Parabéns, Mestre... (foi aos 45 do segundo tempo, mas tá valendo!)

A Hora do Lobisomem nos traz uma história que se passa durante um ano, dividida por meses, descrevendo a ocasião de cada ataque de uma criatura, da "Besta", à cidade de Traker's Mills. Uma criatura que mata suas vítimas, sem dó nem piedade.

O mistério todo está em descobrir quem é esse lobisomem, que ataca a cada lua cheia do mês e porquê ele faz isso. Temos o personagem principal da história, Marty Coslaw, uma criança de 10 anos que possui uma deficiência e depende de uma cadeira de rodas, mas que se mostra extremamente corajoso diante da situação. Ele sofre um ataque da criatura mas, a princípio, consegue enfrentá-la.




Mais uma vez King vem com a mensagem de que criamos nossos monstros como reflexo de nossos medos, porém cabe a nós enfrentá-los ou deixar que nos consumam.

É uma obra curta, de poucas páginas e rápida leitura. Em dois dias termina-se fácil. As ilustrações contidas nessa edição da Biblioteca King da Suma de Letras estão de apavorar. Muito lindas.

Leitura recomendada!

Beijos e até a próxima!

TÍTULO ORIGINAL: Vamos Pensar Um Pouco?
AUTOR: Mário Sérgio Cortella (ilustrado por Maurício de Sousa)
GÊNERO: Filosofia/Reflexões
EDITORA: Cortez
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 80

SINOPSEOs autores afirmam instigar e estimular o pensamento é nobre, ainda mais nos tempos atuais. 
Vamos pensar um pouco? Dá para notar que esse é convite muito diferente de Vamos pensar pouco? ... Esse um faz toda a diferença! 
Na vida cada um faz toda a diferença mas não basta ser apenas um; pensamos melhor quando pensamos em turma, e, melhor ainda, acompanhados da Turma da Mônica, que nos anima a pensarmos mais, com persistência e alegria, com generosidade e liberdade, com inventividade e criatividade. 
Esse é o principal motivo que juntou o desenhista (como o nosso genial Mauricio gosta de ser chamado), pai da turma, e o filósofo (Cortella), fã da turma, fazendo com que a arte da ilustração e arte da filosofia se encontrem para dialogar com quem acolhe esse convite.




Olá pessoal! Tudo certinho? A dica de hoje é filosófica. Logo que lançou esse livro eu já queria e nessa semana comprei com um mega desconto e li todinho! Juntou dois caras que admiro muito, Cortella e Maurício, meu ídolo de infância. E essa mistura não poderia dar mais certo.

O livro possui 35 reflexões sobre temas variados, por exemplo, liberdade, ética, medo... Cortella sempre deixa aquela mensagem que nos faz coçar a cabeça e pensar: "Putz, e não é que eu já agi assim? Será que estou fazendo a coisa certa?" E acompanhado dos desenhos da Turma da Mônica, que ilustram cada reflexão, é impossível não absorvê-las!




Não tem muito o que dizer sobre o livro, somente que ele tem que ser lido. Eu esperava encontrar uma linguagem mais para crianças mas não, deve ser lido, principalmente, pelos adultos. Meu filho de 8 anos, por exemplo, terá que esperar um pouco mais para ler e entender as mensagens nele contidas.

Recomendo muito! O livro é muito fofo, e não deve ser lido uma só vez. Pretendo relê-lo de tempos em tempos.

Beijos e até a próxima!!!

TÍTULO ORIGINAL: The Devil in The White City
AUTOR: Erik Larson
GÊNERO: Não ficção
EDITORA: Intrínseca
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 448

SINOPSEAssassinato, magia e loucura na feira que transformou os Estados Unidos. No final do século XIX os Estados Unidos eram uma nação jovem e orgulhosa, ávida por afirmar seu lugar entre as maiores potências mundiais. Nesse contexto, a Feira de Chicago de 1893 teve papel fundamental: tinha o objetivo de apresentar a maior e mais impressionante exposição de inovações científicas e tecnológicas já idealizada. A poucas quadras dali um prédio estranho e complexo nomeado Hotel da Feira Mundial era, na verdade, um palácio de tortura, para aquele que ficou conhecido como possivelmente o primeiro serial killer da história americana.



Olá pessoal, como estão? Depois de um certo tempinho, venho com uma leitura que foi meu primeiro contato com o autor e, confesso, foi bem arrastada, foram 12 dias lendo essa obra que é magnífica sim, mas não é o tipo de leitura que me prende. Vamos lá.

A história se passa em Chicago, em meados no século XIX e mostra todo o empenho da cidade em sediar a Feira Colombiana Mundial, realizada para comemorar os 400 anos do descobrimento da América por Colombo. Nos deparamos com uma riqueza de detalhes descritivos de todo o planejamento da feira, de todos os obstáculos enfrentados pelos profissionais envolvidos na sua construção, visto que ela deveria ser realizada para superar a Feira das Artes Decorativas de Paris, de 1884, onde a torre Eiffel foi inaugurada, provando assim que Chicago poderia fazer um evento que perdurasse na memoria das pessoas.

O livro é "dividido" em duas histórias distintas, mas ocorridas na mesma cidade, Chicago. A primeira delas conta sobre a saga de Daniel Burnham e seu grupo de renomados profissionais durante a construção da "Cidade Branca", como depois ficaria conhecida, onde deveria abrigar a Feira Mundial e desbancar a feira de Paris.




A outra, conta a história de H.H. Holmes que, percebendo que Chicago estava em expansão, decidiu mudar-se para lá, onde conseguiu um emprego em uma farmácia que, tempos depois, comprou por métodos nada corretos. Então, nos é apresentado o serial killer da história, que, sem dúvida, foi o que me segurou nessa leitura. Holmes era extremamente galanteador, conquistava facilmente as mulheres, que acreditavam em todas as suas promessas furadas. Sua farmácia prosperou, o que fez com que construísse um hotel próximo à "Cidade Branca" que, claro, vivia cheio de mulheres durante o funcionamento da feira. Sim, ele só admitia mulheres em seu hotel. Lá, ele construiu sua "máquina" de matar. Não vou contar aqui, pois seria spoiler. O autor, com base em muita pesquisa, mergulha fundo na mente do assassino sendo que muitas partes da narrativa são pontos de vista do próprio Holmes.

O livro é sim magnífico, com uma riqueza de detalhes surpreendente, cheio de fatos históricos e é uma história REAL. É difícil absorver que alguém como Holmes tenha realmente existido e cometido tantas atrocidades. Uma pena que, para mim, foi um leitura pesada e posso dizer, até chata. Não devorei como achava que devoraria e só terminei porque queria saber o que aconteceria com Holmes.

Para quem gosta de romances históricos, cheios de detalhes arquitetônicos e financeiros, é uma boa pedida.

Beijos e até a próxima!