TITULO ORIGINAL: Blade Runner
DATA DE LANÇAMENTO: 26/07/1982

SINOPSENo início do século XXI, uma grande corporação desenvolve um robô que é mais forte e ágil que o ser humano e se equiparando em inteligência. São conhecidos como replicantes e utilizados como escravos na colonização e exploração de outros planetas. Mas, quando um grupo dos robôs mais evoluídos provoca um motim, em uma colônia fora da Terra, este incidente faz os replicantes serem considerados ilegais na Terra, sob pena de morte. A partir de então, policiais de um esquadrão de elite, conhecidos como Blade Runner, têm ordem de atirar para matar em replicantes encontrados na Terra, mas tal ato não é chamado de execução e sim de remoção. Até que, em novembro de 2019, em Los Angeles, quando cinco replicantes chegam à Terra, um ex-Blade Runner (Harrison Ford) é encarregado de caçá-los.


Olá pessoal! Hoje eu fiz uma coisa que estava querendo fazer há um tempinho mas não tinha sido possível ainda pois não encontrava o filme disponível: assistir a Blade Runner, O Caçador de Andróides, baseado na obra de Philip K. Dick, Andróides Sonham com Ovelhas Elétricas?, que ainda não li, mas quero ler. Estava curiosa para saber qual o fascínio que esse filme tinha. E a curiosidade cresceu ainda mais depois do lançamento de Blade Runner 2049. Não tenho como comparar a obra literária com o filme mas vou falar um pouco do que achei sobre ele. (o que não é nenhuma crítica de cinema, pelo amor de Deus...)

Em 2019, quatro replicantes - como são chamados os andróides - estão revoltados e à solta na Terra após fugir de uma colônia interestelar onde humanos os mantinham como escravos. Estavam revoltados não por sua condição de andróide mas com o fato de viverem somente quatro anos, por motivos de segurança. O caçador de andróides, Rick Deckard, é escalado para encontrar esses andróides e retirá-los de circulação. O replicantes estão atrás de respostas e precisam encontrar seus criadores o que os leva a lutar contra Deckard. Uma das cenas finais, a do salvamento de Deckard pelo cabeça do grupo andróide, foi a mais forte para mim, onde demonstrou toda a fragilidade do replicante.

O que eu achei fantástico foi a visão do século XXI em 1982. No filme, as televisões ainda seriam de tubo, os computadores ainda teriam telas verdes, o prédio super tecnológico mas ainda com ventiladores de teto e a Atari ainda existiria...




O filme deixou uma mensagem filosófica no meu entender. Os andróides representam, alternativamente, os nossos medos e dúvidas, do tipo: de onde viemos? para onde vamos? quanto tempo temos? Entretanto, esses andróides dão mais valor à vida do que nós...

A trilha sonora de Vangelis também é demais:



Quero muito assistir ao novo filme, espero que consiga ver ainda no cinema. Se você, como eu, ainda não assistiu a versão antiga, fica a dica.

Beijos e até a próxima!

TÍTULO ORIGINAL: Ragdoll
AUTOR: Daniel Cole
GÊNERO: Policial/Suspense
EDITORA: Arqueiro
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 336

SINOPSEO polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano. Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf. Agora, para salvar a vida do amigo, Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente.



Olá pessoal! Mais uma leitura concluída então mais uma resenha por aqui! Boneco de Pano estava na minha lista de desejados mas uma amiga descobriu e me deu de presente! Definitivamente meu gênero predileto, ao lado do terror, é o suspense policial e esse livro é exatamente o meu estilo.

A história já me fisgou nas primeiras páginas tanto que eu li quase um terço dela em um dia: um crime barra pesada cometido por um assassino super inteligente que estava adorando brincar com a polícia. Visto que a vida de um dos detetives estava ameaçada, a investigação toma um ritmo frenético, por isso é difícil largar a leitura no meio do caminho.




Seis pessoas foram assassinadas e um só corpo foi montado com uma parte de cada vítima. Uma lista aparece com o nome de mais seis pessoas que perderão a vida. Daí é preciso, além de descobrir quem é cada vitima costurada no "boneco" e quem fez isso, é necessário que a polícia proteja as pessoas ameaçadas de morte, dentre ela o detetive Wolf.

Essa história me fez devorar o livro em 3 dias, mas confesso que o final não foi tão surpreendente para mim pois desconfiei de alguma coisa na metade da história. Porém isso não tirou a inteligência do final e de toda a trama do autor. Para quem adora livros policiais como eu, é uma ótima pedida!

Beijos e até a próxima!!!!

TÍTULO ORIGINAL: Only the Animals
AUTORA: Ceridwen Dovey
GÊNERO: Drama
EDITORA: Darkside
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 240

SINOPSENós, humanos, nos achamos o máximo. Mas o que temos feito com o nosso mundo? "Só os Animais Salvam" é um livro que tenta responder a essa pergunta de maneira inusitada. Cada um de seus contos é uma fábula moderna, narrada por um bicho diferente, vítima de uma de nossas incontáveis guerras. Em meio ao caos, os animais conseguem encontrar esperança e inspiração numa das atividades mais significativas que nossa espécie já criou: a literatura. Ceridwen Dovey reúne fragmentos e personagens da obra de escritores imortais e nos faz sonhar o sonho dos inocentes. Só os animais salvam.

Oi pessoal! Hoje trago um livro que no começo foi um pouco confuso, tanto que o primeiro conto, o do camelo, não foi muito compreensível para mim mas os demais contos fluíram bem. Só os Animais Salvam traz 10 contos, que se passam em épocas de guerra (mais antigas e mais modernas), narrados pela ótica dos animais. São histórias dramáticas, algumas inundadas de amor, outras de rejeição e violência.

Meus contos preferidos:

Alma de Gata - passado na França e conta a história de uma gata acostumada a uma vida de luxo e é abandonada, encontrando refúgio entre os soldados de guerra, onde encontra outro gato, que já passou por sua vida um dia, quando ela era boa. Vemos a vida pelos olhos dos gatos e como eles se sentem com relação aos serem humanos.

Alma de chimpanzé - passado na Alemanha. Esse não foi dos preferidos mas coloquei aqui na lista pois me chocou demais. Conta a história de um chimpanzé que foi treinado para ser humano e se apaixona pela esposa de seu treinador. Ele estava em guerra e nesse tempo Peter (o chimpanzé) e Evelyn (a esposa) trocam cartas onde demonstram seu amor recíproco. Do mesmo modo, estava sendo treinada uma chimpanzé fêmea para fazer companhia a Peter. Esta, quando descobre o amor entre seu prometido e a humana, fica extremamente decepcionada. Achei bem bizarro...




Alma de cachorro - passado na Polônia. Para mim, o mais tocante pois mostra a total fidelidade do cão para com seu "Mestre" e vemos que, nesse caso, não foi recíproco. Fiquei arrasada...

Alma de tartaruga - iniciado na Rússia e terminado no espaço, um conto sobre solidão. Amei a história da tartaruga super viajada que foi animal de estimação de vários escritores famosos, como Tolstói, Virgínia Woolf e George Orwell.

Fiquei mexida com todas as histórias, especialmente com a última, Alma de papagaio... Esse livro nos faz refletir sobre as relações humanas com os animais, o amor incondicional que eles devotam a seus donos e que nem sempre devolvemos a contento. Percebemos o quanto eles sentem quando a morte está iminente o que me deixou bem pensativa.

Apesar de ter achado alguns contos bem chatos, o livro vale a pena ser lido pela possibilidade de reflexão que ele nos proporciona. E fora que a edição da Darkside está lindíssima! Mais uma para enfeitar minha estante!

Fica aqui mais uma dica. Se já leram, comentem e digam suas opiniões.

Beijos e até a próxima!