TÍTULO ORIGINAL: Only Daughter
AUTORA: Anna Snoekstra
GÊNERO: Suspense
EDITORA: Harper Collins
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 256

SINOPSE: Rebecca Winter está desaparecida há onze anos. Uma mulher assiste sua história em um programa de televisão e não consegue deixar de notar como as duas são parecidas. Mesmo cabelo, mesmas sardas, mesmo olhar. Um dia, para fugir da prisão, afirma ser a garota desaparecida. Seu plano é fugir assim que puder. Mas surge a oportunidade de ter uma nova vida ao invés de voltar para as ruas - uma vida segura e confortável, com um teto sobre sua cabeça. Aos poucos, a impostora começa a se tornar Rebecca Winter. Mas coisas estranhas começam a acontecer. E de repente ninguém é como diz ser. Parece que o responsável pelo sumiço da menina ainda está à solta, e não vai desistir até colocar suas mãos em Rebecca Winter mais uma vez.


Olá pessoal! O livro de hoje é um suspense muito, mas muito bom. Única Filha não deixou a desejar e superou minhas expectativas!

A história é dividida em dois tempos, 2003 e 2014, com capítulos intercalados. Conta a história de uma garota (cujo nome não é revelado) que, para se safar da polícia por causa de alguns delitos que cometeu, decide se passar por Rebecca Winter, que desapareceu em 2003, aproveitando-se de sua enorme semelhança com ela. Onze anos depois, para se sentir amada de novo, ela decide viver a vida de Bec, convivendo com seus pais, irmão e amigos, sem nada saber sobre eles. Só que ela não contava com Andopolis, um investigador que decide remexer no passado e tentar descobrir o que aconteceu com Rebecca e quem foi seu sequestrador.

Apesar das pequenas dificuldades e alguns embaraços, a falsa Bec estava se engajando bem na vida da outra mas, o que estava parecendo fácil, começa a dificultar pois ela percebe que as pessoas que sequestraram Bec estavam atrás dela também. Isso a deixa extremamente assustada e por isso ela começa a rever sua atitude de ter se passado por outra pessoa.





Confesso que fiz algumas teorias (todas furadas, rs) do que teria acontecido com a verdadeira Rebecca porém fiquei de queixo caído quando descobri a verdade... A autora me surpreendeu realmente. As últimas páginas foram devoradas em alguns minutos e nada me fazia parar de ler.

Única Filha não é um livro com uma simples história de troca de identidades. É muito mais que isso. Para os fãs do gênero como eu, não tem como não admirar a autora por sua inteligência. Livro mais do que recomendado!!!!

Beijos e até a próxima!!!



Olá pessoal! Era para ser um post mensal mas acabou virando bimestral... hoje venho mostrar a vocês os novos integrantes da minha estante (e da minha fila infinita) que vieram para abrilhantar ainda mais meu cantinho. Logo, logo, terei que fazer nova sessão desapego, ou comprar outra estante.

Antes de mais nada, deixe eu justificar uma coisa: hoje é domingo e seria dia de postar um conto de Edgar Allan Poe porém não me planejei direito essa semana e não consegui ler o próximo conto. :( Mas domingo que vem ele volta para espalhar mais medo clássico pelo APL!

Dentre os novos de julho/agosto, tem livros comprados, que ganhei e que troquei na sessão desapego. Vamos à lista:







LIVROS TROCADOS NA SESSÃO DESAPEGO:

- Trilogia Millenium - Stieg Larsson
Os Homens Que Não Amavam As Mulheres
A Menina Que Brincaba Com Fogo
A Rainha do Castelo de Ar

- A Herança - John Grisham
- Inevitável - Joy Fielding
- As Gêmeas do Gelo - S. K. Tremayne (resenha aqui)


LIVROS QUE GANHEI:

- Persépolis - Marjane Satrapi
- Maus - Art Spiegelman


LIVROS QUE COMPREI:

- A Garota-Corvo - Erik Axl Sund
- O Livro dos Espelhos - E. O. Chirovici
- Horror na Colina de Barrington - Marcus Barcelos
- Matéria Escura - Blake Crouch
- Noturno - Scott Sigler
- Wytches - Scott Snyder (resenha aqui)
- Medo Clássico - Edgar Allan Poe
- A Grande Ilusão - Harlan Coben
- A Hora do Lobisomem - Stephen King


E então, o que acharam? Muita coisa né? Meu Deus, precisarei de muitas vidas para ler tudo hahahaha. Comentem se já leram algum desses!

Beijos e até a próxima!!!!!




TÍTULO ORIGINAL: O Sorriso da Hiena
AUTOR: Gustavo Ávila
GÊNERO: Suspense
EDITORA: Independente (li em ebook a edição anterior à da Ed. Verus)
ANO DE LANÇAMENTO: 2015
NÚMERO DE PÁGINAS: 304

SINOPSEAtormentado por achar que não faz o suficiente para tornar o mundo um lugar melhor, William, um respeitável psicólogo infantil, tem a chance de realizar um estudo que pode ajudar a entender o desenvolvimento da maldade humana. Porém, a proposta feita pelo misterioso David coloca o psicólogo diante de um complexo dilema moral. 

Para saber se é uma pessoa má por ter presenciado o brutal assassinato dos seus pais quando tinha apenas oito anos, David planeja repetir com outras famílias o mesmo que aconteceu com a dele, dando a William a chance de acompanhar o crescimento das crianças órfãs e descobrir a influência desse trauma na vida delas.
Até onde ele será capaz de ir? É possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem?




Olá pessoal! A resenha de hoje é da literatura nacional. Um livro que eu não havia lido a sinopse (eu quase nunca leio) mas várias pessoas recomendaram. Estava lendo em paralelo com os outros três da lista: Wytches, Jogo Perigoso e Edgar Allan Poe), por isso demorei 10 dias para terminar, mas, se tivesse lendo somente ele, facilmente eu devoraria em 3 dias, no máximo...

Até que ponto pode chegar a crueldade do ser humano? Como um trauma abala o psicológico e influencia a vida de uma pessoa? Até onde alguém pode chegar para conseguir o que quer? Esse livro conseguiu me deixar de boca aberta. Uma história extremamente impactante e cruel. E muito bem construída. 

David que, aos 8 anos, assistiu ao brutal assassinato dos pais decide, para desenvolver um estudo sobre a maldade humana, fazer a mesma experiência com outras crianças. Só que, para isso, precisará contar com a ajuda de William, um renomado psicólogo, que desenvolve um trabalho excelente com crianças. William, por sua vez, se vê dividido entre questões morais, o que o afeta bruscamente: ele recusa o pedido de David e evita que pessoas percam a vida ou aceita visto que, com esse estudo, pessoas podem ser ajudadas, impedindo que surjam acontecimentos similares?




O responsável pela investigação dos crimes é o detetive Artur, um policial que possui Síndrome de Asperger, o que limita seus relacionamentos sociais, faz com que entenda tudo ao pé da letra (confesso que em algumas passagens eu ri muito com Artur) mas o detetive se mostra de uma inteligência superior, sendo um dos melhores tiras seu distrito. Não posso escrever mais senão seria spoiler.

Fiquei muito satisfeita com a leitura. O autor, em seu livro de estréia, conseguiu me envolver totalmente, construiu uma história bem amarrada, com personagens complexos e peculiares. Conseguiu mostrar o quanto o ser humano pode ser cruel. Recomendo muito!

Beijos e até a próxima!!


TÍTULO ORIGINAL: Wytches
AUTOR: Scott Snyder (ilustrado por Matt Jock)
GÊNERO: Terror
EDITORA: Darkside Graphic Novel
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 192

SINOPSEBruxas são criaturas muito mais perversas e diabólicas do que você poderia pensar — e, portanto, muito mais assustadoras. Ver uma é coisa rara; sobreviver a elas é mais raro ainda. É por isso que quando a família Rook se muda para Litchfield, uma remota cidadezinha de New Hampshire, tentando escapar de uma experiência horrível ao recomeçar do zero, eles não entendem que algo sinistro vive nas florestas ao redor da cidade. Algo que os observa, esperando apenas por uma oportunidade. Algo muito antigo... e voraz. Você até pode conseguir feitiços e milagres delas, mas, para isso, vai precisar pagar o preço. Pai e filha vão descobrir que recomeçar pode ser bem mais difícil quando há uma conspiração secular que envolve a sua família em curso.


Olá pessoal! Essa é mais uma novidade no blog! E também na minha vida de leitora! Recomendado por amigas loucas por leitura, comprei essa maravilha chamada Wytches, e entrei no mundos das graphic novels!!!! Amei a experiência!!!!

Whytches conta a história da família Rooks, que se muda para New Hampshire para começar uma nova vida e deixar o passado para trás, o que não é muito fácil para a filha do casal, Sailor. Além de toda a dificuldade para lidar com a nova escola, ela sabe o que esconde a floresta. É algo que não fez nada bem a ela no passado.

Após um estranho episódio acontecido na escola, Sailor desaparece. A polícia local está atrás da garota mas seu pai, que a ama incondicionalmente, também decide ir sozinho atrás de sua filha.




A história é um vai e vem no tempo, o que eu achei mega interessante mas um pouco confuso para mim, talvez por não estar acostumada com esse tipo de leitura. A edição está maravilhosa, as ilustrações são bem assustadoras. Se você acha que vai encontrar as bruxas narigudas, com uma verruga na ponta e chapéu pontudo preto e roxo, está completamente enganado. Elas tem uma composição totalmente assustadora, com olhos, dentes, mãos, corpos, muito deformados. E se alimentam de jovens, queimadas em um caldeirão. Mas, apesar de todo esse horror, o que mais me tocou foi a abordagem do amor acima de tudo, entre pai e filha.

Com certeza esse livro fez despertar em mim a vontade de ler mais HQs. Já até vou ganhar uns de presente do maridão!!!!! :)

Recomendo muito a leitura! E espero ansiosa pelo próximo volume!!!!

Beijos e até a próxima!!!

TÍTULO ORIGINAL: Gerald's Game
AUTOR: Stephen King
GÊNERO: Suspense psicológico
EDITORA: Suma de Letras
ANO DE LANÇAMENTO: o livro é de 1992 e essa edição que li é de 2013
NÚMERO DE PÁGINAS: 336

SINOPSESolidão, dificuldade de se comunicar e de se locomover e traumas da infância. Estes são os temas fundamentais de Jogo perigoso. Jessie e Gerald estão tendo problemas no relacionamento. Na tentativa de dar nova vida a seu casamento, viajam para uma região isolada no Maine. Mas um jogo de sexo acaba se transformando em prelúdio para uma noite de horror. Durante o jogo, Jessie é acorrentada à cama, e, subitamente, Gerald morre diante de seus olhos. Está presa e logo percebe que não há chance de alguém ouvir seus gritos. É nesse momento que, impotente e acompanhada apenas do cadáver do marido, vê todos os seus maiores medos ressurgirem para torturá-la. Jogo perigoso, de Stephen King, revela o estilo eletrizante que consagrou este mestre do terror moderno, e faz o leitor mergulhar numa trama fascinante e diabólica.



Oi pessoal, tudo bem com vocês?? Aproveitando que foi anunciado o lançamento de mais um filme baseado na obra de King (tudo bem que isso foi no ano passado), terminei esse livro agoniante chamado Jogo Perigoso. Vou tentar expressar meus sentimentos em relação a ele...

Como forma de apimentar o casamento, Gerald e Jessie decidem seguir para o lado do sadomasoquismo. Foram para a casa que eles tinham no lago Kashwakamak (nomezinho difícil), onde Gerald prende a mulher na cama com algemas, o que, a princípio, agradou-a. Mas em certo momento, Jessie se arrepende e não quer mais transar com o marido daquela maneira e tenta recusá-lo, quando, em um ato violento, chuta seu marido para longe e ele sofre um ataque cardíaco.

Algemada na cama, sozinha, sem conseguir se libertar, com as chaves fora de seu alcance, Jessie fica aterrorizada com a possibilidade de não conseguir sair dali e tenta não deixar o pânico dominá-la. E é aí que agonia começa... Uma agonia que me lembrou muito Misery (leia a resenha aqui).

O real e o imaginário se misturam na narrativa do autor. Jessie ouvi vozes, recorda fatos de seu passado sofrido (essa parte é nojenta), o que faz com que, no meio de seus devaneios, ela tenha clarões na mente que a levam a tentar, das formas possíveis, se libertar das algemas. A descrição das agonias de Jessie são detalhadas, bem o estilo de King, e fazem você se sentir como se fosse a protagonista. O cara é realmente um gênio, escrever um livro com praticamente um único personagem e te prender do início ao fim... continuo tirando o chapéu pra ele.




O final eu achei um pouco surreal e que não deixou bem claro se algumas visões de Jessie foram reais ou não. Apesar de muito F.O.D.A., ficou um pouco fora de contexto, meio forçado até... mas isso não tirou a genialidade desse suspense psicológico incrível.

Quem já leu esse livro, por favor, deixe sua opinião sobre ele aqui. Ou então comente lá no Facebook do APL ou no Instagram. Vou adorar discutir sobre sobre esse história! E, sim, eu recomendo a leitura!

O filme ainda não tem data de estréia e será adaptado pela Netflix. Estou ansiosíssima por assistir!!!

Beijos e até a próxima!

O CORAÇÃO DELATOR - 1843














Oi pessoal! Mais um domingo com Edgar! (rs) Cada vez que avanço um conto nesse livro, vou gostando mais e mais do autor e notando os pontos comuns em seus contos. O conto de hoje é o último da sequência do livro chamada "Narradores Homicidas".

Em O Coração Delator temos um narrador que quer, de qualquer maneira, demonstrar que não é louco. Ele conta a história de uma ideia que surgiu em sua mente e passou a assombrá-lo dia e noite. De alguma maneira, apesar de amá-lo, ele queria matar "o velho". Supõe-se que "o velho" seja alguém de que ele cuidava mas cujo olho, com catarata, o perturbava e o enchia de fúria.

Então, passou sete dias tendo os maiores cuidados com o velho, visitando-o, sorrateiramente, todas as noites. Em sua mente, em algum momento dessas visitas noturnas, ele acreditava que veria os olhos do velho e então chegaria a hora de acabar com ele. Até que, na oitava noite, o velho acorda com o barulho de seu enfermeiro na fresta da porta o que o faz ficar apavorado a ponto de, em sua loucura, o narrador ouvir as batidas do coração de seu amo, e isso o foi deixando cada vez mais nervoso até que ele entrou no quarto e cometeu uma grande loucura.




Em várias resenhas li a comparação deste conto com O Gato Preto. Realmente vemos a semelhança nos aspectos da loucura de seus narradores, que manipula suas mentes para cometer atos insanos. Em ambos os contos, aliás, em todos os contos de Poe que li até agora, os aspectos psicológicos dos personagens são o destaque.. 

Abaixo, uma adaptação do conto. Tem spoiler, portanto, se não quiserem saber o final, não assistam. O que posso dizer é que, como nós, o narrador acha que não é louco.




Beijos e até o próximo conto!!!!





Oi Pessoal! Faz um tempo que não respondo TAGs e vi essa no blog Simplesmente Criativa e achei interessante. Gosto dessas bobagens de responder perguntas... rsrsrs... Vamos lá!



E Se Eu Perguntasse...

1- Você tem alguma mania? Qual?
Enrolar uma mecha do cabelo

2- Você cumprimenta estranhos na rua?
Não

3- Quem faz os serviços domésticos na sua casa?
Minha ajudante que vai uma vez por semana

4- Você acha que às vezes acaba comprando produtos sem necessidade?
Sim... 


5- Você fuma?
Não. Detesto cigarro.

6- Quantas pessoas moram na mesma casa que você?
Duas. Meu marido e meu filho. Tenho um cachorro também.


7- Você tem medo de envelhecer?
Não. Só quero envelhecer com saúde.

8- Você usa maquiagem vencida?
Nããããão!!!!

9- Qual a sua prioridade na vida?
Tudo que diz respeito a meu filho.

10- Você joga lixo na rua?
De jeito nenhum.


11- Você está lendo algum livro? Qual?
No momento, estou lendo O Menino Feito de Blocos.


12- Com que frequência você faz as unhas?
Uma vez por semana. Ou mais se o esmalte começa a descascar muito cedo rsrsrs

13- Você usa hidratante para o rosto? Qual?
Sim... agora não lembro o nome...


14- Quais os itens de maquiagem que você usa no dia a dia?
BB Cream, batom e lápis de olho


15- Qual câmera você usa para gravar seus vídeos?
Do celular.

16- Qual seu cheiro agora?
Putz... não estou fedida, então acho que deve estar cheirando meu perfume, mas eu não sinto.


17- Você acha que os produtos caros são sempre os melhores?
Nem sempre.

18- Ao sair de um supermercado você percebe que o caixa lhe deu R$ 50 a mais no troco. Você volta e devolve o dinheiro?
Lógico.

19- No ônibus ou em fila de banco, você dá lugar para os idosos?
Sim.

20- Você é uma pessoa sociável?
Não. kkkkkkkkkkkk


21- Seu celular está sempre com créditos?
O meu é pós pago rsrsrs


22- Caso fosse fazer uma cirurgia plástica, o que você mudaria?
Tiraria o culote e aumentaria a bunda kkkkk

23- Sua melhor amiga está sendo traída pelo marido ou namorado. Você contaria caso você soubesse?
Hummmm, perguntinha difícil... acho que não falaria diretamente, primeiro daria umas indiretas...


24- Você comete algum dos pecados capitais? Qual?
Sim. Gula rsrsrs


25- Você é feliz?
Muito!!!!!! 


26- Você é uma pessoa vingativa?
Não.


27- Já se sentiu evitado por uma ou mais pessoas em algum momento da vida?
Milhões de vezes. E olha, é péssimo!


28- Você acredita que as pessoas mudam?
Não. Recentemente reencontrei alguém que não via há 20 anos e pude constatar que continua a mesma coisa.


29- Você gosta de ser visitada com frequência?
Sim. Mas ninguém me visita... :(

30- Tem gente que diz que o YouTube é coisa de gente que não tem o que fazer. O que você acha disso?
Cada um com suas preferências. Não tenho essa opinião não.

Podem ficar à vontade para responder!!! Comentem se há alguma semelhança entre nós!

Beijos e até a próxima!!!

TÍTULO ORIGINAL: A Boy Made of Blocks
AUTOR: Keith Stuart
GÊNERO: Romance
EDITORA: Record
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 378

SINOPSEUma história sobre um pai e seu filho autista, e sobre um jogo que mudou suas vidas. Alex ama sua família, mas tem dificuldade em se conectar com Sam, o filho autista de oito anos. A tensão crescente da rotina leva seu casamento ao ponto de ruptura. Jody não aguenta mais o marido ausente e que pouco participa da vida do filho. Então Alex vai morar com o melhor amigo, e passa a dormir no colchão inflável mais desconfortável do mundo. Enquanto Alex enfrenta a vida de homem separado, cumpre a função de pai em meio-expediente e é confrontado com segredos de família há muito enterrados, seu filho começa a jogar Minecraft. E o que acontece depois disso é algo que nem Alex, nem Jody, nem Sam poderiam imaginar. Inspirado no relacionamento do autor com seu filho autista, O Menino Feito de Blocos é um livro emocionante, engraçado e verdadeiro sobre o poder da diferença e sobre um menino para lá de especial.



Oi pessoal! Resolvi mudar um pouco o gênero, pois vinha lendo muitos suspenses e thrillers seguidos e não me arrependi nem um pouco de ter escolhido O Menino Feito de Blocos. Entrei em um universo totalmente desconhecido para mim e terminei esse livro muito mais leve e entendendo um pouco sobre o que é o autismo.

Alex é uma pessoa que sofre muito por ter perdido seu irmão quando criança e por se sentir culpado pela sua morte. E essa culpa acaba interferindo em seu relacionamento com seu filho Sam, diagnosticado como autista de alto grau. Por não conseguir enfrentar as atitudes do filho pelas suas mínimas insatisfações e medos, ele acabou mergulhando de cabeça em seu trabalho, uma maneira de se manter afastado deixando a esposa, Jody, sobrecarregada na luta diária com Sam. E é lógico que isso culmina em uma separação "temporária" dos dois, proposta por Jody. Com isso, Alex vai morar com seu amigo Dan, solteirão, que tem uma vida confortável e completamente diferente da de Alex.




E com esse distanciamento da sua casa, o maior desafio de Alex está em começar a entender seu filho, e como lidar com ele, pois somente isso o fará se reaproximar de Jody novamente. Mas, se desgraça pouca é bobagem, algo acontece na vida de Alex que o faz com que fique a maior parte de seu tempo no apartamento do amigo e com isso, descobre, em um jogo de Xbox, um aliado fortíssimo na aproximação com Sam, o Minecraft. E nesse envolvimento, Sam começa a vencer seus medos e demonstrar uma inteligência fora do comum.

Eu realmente AMEI esse livro. Com leveza e bom humor, o autor, que tem um filho autista, construiu maravilhosamente o envolvimento de Alex e Sam, demonstrando um pouco do que é ser autista e do modo que eles tem de sentir o mundo. Daí você percebe o quão bobos, nós, os não autistas, somos. Eles tem uma sensibilidade um milhão de vezes maior que nós, os ditos, NORMAIS. Normais em que sentido??? (fica a pergunta)

O fechamento da história nos deixa uma mensagem de superação, de amor e de amizade verdadeira. Eu gostaria de uma amizade assim como a de Dan e Alex.

Livro mais do que recomendado! Uma leitura que nos mostra, com bom humor e emoção, que a vida deve ser vivida com leveza.

Beijos e até a próxima!!!!

O Barril de Amontillado - 1846














Olá pessoal! Domingo é aquele dia do terror clássico! Venho com mais um conto de Edgar Allan Poe, dessa vez O Barril de Amontillado. Vai ser bem difícil escrever sobre ele pois é um conto bem curto, e se alongar demais, dou spoiler. Portanto, a resenha também será curta...

A história trata de uma vingança entre, aparentemente, dois amigos sendo que a promessa já se anuncia logo no primeiro parágrafo do conto. E essa promessa era de uma vingança pesada... o que realmente foi... Pronto. Se eu escrever mais vou acabar contando a história toda...




Só tenho uma coisa a dizer: o amigo que quer se vingar é muito cruel. Muito mesmo. Não fica claramente dito o porquê da vingança, mas Fortunato (o amigo) deve ter feito algo muito ruim de verdade...

Esse conto é assustador não porque contem cenas de horror (e esse não tem mesmo), mas sim por mostrar os mais cruéis sentimentos humanos. Eu senti muito medo pois, eu que acredito em todo mundo e não vejo maldade em ninguém, cairia como uma patinha na cilada do protagonista.

Beijos e até o próximo conto!!




Olá pessoal! E hoje é dia de texto do projeto Escrevendo Sem Medo, iniciado pelo blog Historiar. O tema desse mês para mim foi muito fácil. Primeiro, porque se refere ao amor e segundo, porque se baseia em uma música que gosto muito, Apenas Mais Uma de Amor, do Lulu Santos.

Eu gosto tanto de você que até prefiro esconder: Esse texto funcionará como uma carta anônima. Pense em alguém que você goste e se declare. Exponha aquilo que faz com que você goste tanto da pessoa, dê dicas de quem ela é, mas não revele para quem a carta se destina.





Existem poucas pessoas (dá para contar com os dedos de uma só mão) por quem tenho uma admiração especial e não necessariamente é aquele amor arrebatador, apaixonado, que você quer compartilhar com pessoa para o resto da sua vida, formar família e permanecer até a velhice. Esse amor eu tenho pelo meu marido, quem eu escolhi para ser meu parceiro de vida. Igual ao amor que tenho por ele não há. E também não é aquele amor de mãe, pai e filho. É outro tipo de amor.
Amor por aquelas pessoas que, declaradamente ou na minha percepção, me amam porque sim. Sem interesse, simplesmente porque gostam do meu jeito, ou gostam da minha companhia, do meu papo (apesar de eu não ser muito boa de papo... rs). Ou simplesmente me querem por perto.
Essas pessoas merecem toda a minha admiração e amor, e podem ter a certeza de que os tem, já que demonstram, de várias maneiras, que me querem na vida delas de alguma forma. Os interesses comuns compartilhados, as mensagens escondidas nas entrelinhas ou expostas deliberadamente, isso faz com que os ame, sim. Amor de amigo, amor platônico, amor de colega... desde que se tenha respeito, meu amor será correspondido sempre. O que é recíproco é muito melhor.
Sei que sou uma pessoa extremamente fechada, não costumo demonstrar muito meus sentimentos mas, se as poucas pessoas a quem me refiro lerem esse texto, saberão quem são...


O texto não foi escrito com a intenção de ser uma carta anônima mas expressou meus sentimentos verdadeiros. Espero que tenham gostado. E deixo o clipe dessa musiquinha linda! <3 <3 <3




Beijos e até a próxima!

TÍTULO ORIGINAL: The Wasp Factory
AUTOR: Iain Banks
GÊNERO: Thriller psicológico
EDITORA: Darkside
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 240

SINOPSEFrank – um garoto de 16 anos bastante incomum – vive com seu pai em um vilarejo afastado, em uma ilha escocesa. A vida deles, para dizer o mínimo, não é nada convencional. A mãe de Frank os abandonou anos atrás; Eric, seu irmão mais velho, está confinado em um hospital psiquiátrico; e seu pai é um excêntrico sem tamanho. Para aliviar suas angústias e frustrações, Frank começa a praticar estranhos atos de violência, criando bizarros rituais diários onde encontra algum alívio e consolo. Suas únicas tentativas de contato com o mundo exterior são Jamie, seu amigo anão, com quem bebe no pub local, e os animais que persegue ao redor da ilha.



Olá pessoal! Hoje é dia de resenha de thriller psicológico (de novo...) pois esse anda sendo meu gênero predileto ultimamente. A quanto tempo não leio um romance de época??? Não sei... rsrs

A leitura de hoje foi pesada. Não conhecia o autor e, na verdade, só comprei esse livro porque é da Darkside, uma editora que eu amo. E decidi dar uma chance a ele dessa vez, visto que ele já estava na minha estante a um tempinho. E não me decepcionei.

Como dito na sinopse, Frank não é um garoto convencional, fica clara a sua psicopatia mas também é um jovem extremamente inteligente. Quando fica sabendo que seu irmão fugiu do hospital, ele começa a querer que sua volta seja o mais tranquila possível, pois ele, quando solto, costumava torturar animais e perturbar a ordem da cidade onde moravam. Eric telefona várias vezes para casa, e Frank procura, em todas elas, esconder as ligações do pai, que não tinha um bom autocontrole quando o assunto era Eric.





Frank possui semelhança de comportamento com o seu irmão, pois também torturava animais, mas mantinha um altar secreto, onde cultuava seu passado, que guardava três assassinatos. As cenas descritas na "Fábrica" são bem assustadoras e algumas, nojentas. Fortes mesmo.

Em suas idas e vindas ao passado, o autor vai desenrolando a vida do protagonista, revelando passagens realmente perturbadoras que, a princípio, parecem jogadas ao vento mas, conforme o desenrolar do livro, vão fazendo todo sentido.

Agora, o mais perturbador de tudo é o final. Eu não imaginava que a verdadeira revelação sobre ele seria tão bombástica. Não pensei na possibilidade. É... vocês terão que ler o livro para saber...

Se você quer um livro que fala sobre psicopatia, que seja extremamente sinistro e que te deixe de boca aberta por algumas horas, Fábrica de Vespas é perfeito. Recomendadíssimo!

Beijos e até a próxima!!!!

O GATO PRETO - 1843














Olá pessoal! Mais um conto da série sobre Poe aqui no blog. A cada conto que leio me aterrorizo mais rsrsrs. Eu gostaria de ter mais sensibilidade para desenrolar sobre todos os simbolismos que cercam esse conto, que faz parte do grupo de contos do livro chamado "Narradores Homicidas".

O conto nos fala sobre um homem apaixonado por animais, tendo vários em casa dentre eles, o preferido, o gato preto chamado Plutão. Porém, devido ao abuso do álcool, todos esse amor pelo gato se transforma em perversidade, o que o leva a enforcar a criatura.

Então, movido pelo remorso, ele fica a procura de um novo animal e eis que certa noite, ele se depara com um gato preto, surgido em cima de um de seus barris de bebida. O gato era exatamente igual à Plutão, a não ser por uma mancha branca, em formato de forca, em seu peito.

De início, seu afeto pelo animal, que o persegue noite e dia, era grande entretanto, após certo tempo, aquele sentimento de ódio pelo animal voltou...




Nesse conto percebemos o quanto perturbado é o protagonista, que vai de um extremo a outro não só devido ao uso do álcool, mas também pelos sentimentos que despertam nele por causa de seus atos atrozes. Me senti extremamente agoniada com esse conto pois Poe não economiza em atos violentos, MUITO violentos. Senti raiva desse homem também e fiquei aliviada quando, em certo momento ele nos conta, que foi condenado.

Confesso que estou descobrindo algo muito mais sensacional do que eu esperava com esse livro. Poe consegue mexer no íntimo do leitor. Esse é o quarto conto que leio e o sentimento que eu tinha antes de começar a ler esse livro, que era o de que eu o abandonaria pela metade, sumiu de vez. Eu não vou sossegar enquanto não acabá-lo!

Eu encontrei no You Tube uma adaptação do conto. Deixo abaixo se tiverem curiosidade de assistir.




Beijos e até o próximo conto!!!!