TITULO ORIGINAL: Blade Runner
DATA DE LANÇAMENTO: 26/07/1982

SINOPSENo início do século XXI, uma grande corporação desenvolve um robô que é mais forte e ágil que o ser humano e se equiparando em inteligência. São conhecidos como replicantes e utilizados como escravos na colonização e exploração de outros planetas. Mas, quando um grupo dos robôs mais evoluídos provoca um motim, em uma colônia fora da Terra, este incidente faz os replicantes serem considerados ilegais na Terra, sob pena de morte. A partir de então, policiais de um esquadrão de elite, conhecidos como Blade Runner, têm ordem de atirar para matar em replicantes encontrados na Terra, mas tal ato não é chamado de execução e sim de remoção. Até que, em novembro de 2019, em Los Angeles, quando cinco replicantes chegam à Terra, um ex-Blade Runner (Harrison Ford) é encarregado de caçá-los.


Olá pessoal! Hoje eu fiz uma coisa que estava querendo fazer há um tempinho mas não tinha sido possível ainda pois não encontrava o filme disponível: assistir a Blade Runner, O Caçador de Andróides, baseado na obra de Philip K. Dick, Andróides Sonham com Ovelhas Elétricas?, que ainda não li, mas quero ler. Estava curiosa para saber qual o fascínio que esse filme tinha. E a curiosidade cresceu ainda mais depois do lançamento de Blade Runner 2049. Não tenho como comparar a obra literária com o filme mas vou falar um pouco do que achei sobre ele. (o que não é nenhuma crítica de cinema, pelo amor de Deus...)

Em 2019, quatro replicantes - como são chamados os andróides - estão revoltados e à solta na Terra após fugir de uma colônia interestelar onde humanos os mantinham como escravos. Estavam revoltados não por sua condição de andróide mas com o fato de viverem somente quatro anos, por motivos de segurança. O caçador de andróides, Rick Deckard, é escalado para encontrar esses andróides e retirá-los de circulação. O replicantes estão atrás de respostas e precisam encontrar seus criadores o que os leva a lutar contra Deckard. Uma das cenas finais, a do salvamento de Deckard pelo cabeça do grupo andróide, foi a mais forte para mim, onde demonstrou toda a fragilidade do replicante.

O que eu achei fantástico foi a visão do século XXI em 1982. No filme, as televisões ainda seriam de tubo, os computadores ainda teriam telas verdes, o prédio super tecnológico mas ainda com ventiladores de teto e a Atari ainda existiria...




O filme deixou uma mensagem filosófica no meu entender. Os andróides representam, alternativamente, os nossos medos e dúvidas, do tipo: de onde viemos? para onde vamos? quanto tempo temos? Entretanto, esses andróides dão mais valor à vida do que nós...

A trilha sonora de Vangelis também é demais:



Quero muito assistir ao novo filme, espero que consiga ver ainda no cinema. Se você, como eu, ainda não assistiu a versão antiga, fica a dica.

Beijos e até a próxima!

TÍTULO ORIGINAL: Ragdoll
AUTOR: Daniel Cole
GÊNERO: Policial/Suspense
EDITORA: Arqueiro
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 336

SINOPSEO polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano. Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf. Agora, para salvar a vida do amigo, Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente.



Olá pessoal! Mais uma leitura concluída então mais uma resenha por aqui! Boneco de Pano estava na minha lista de desejados mas uma amiga descobriu e me deu de presente! Definitivamente meu gênero predileto, ao lado do terror, é o suspense policial e esse livro é exatamente o meu estilo.

A história já me fisgou nas primeiras páginas tanto que eu li quase um terço dela em um dia: um crime barra pesada cometido por um assassino super inteligente que estava adorando brincar com a polícia. Visto que a vida de um dos detetives estava ameaçada, a investigação toma um ritmo frenético, por isso é difícil largar a leitura no meio do caminho.




Seis pessoas foram assassinadas e um só corpo foi montado com uma parte de cada vítima. Uma lista aparece com o nome de mais seis pessoas que perderão a vida. Daí é preciso, além de descobrir quem é cada vitima costurada no "boneco" e quem fez isso, é necessário que a polícia proteja as pessoas ameaçadas de morte, dentre ela o detetive Wolf.

Essa história me fez devorar o livro em 3 dias, mas confesso que o final não foi tão surpreendente para mim pois desconfiei de alguma coisa na metade da história. Porém isso não tirou a inteligência do final e de toda a trama do autor. Para quem adora livros policiais como eu, é uma ótima pedida!

Beijos e até a próxima!!!!

TÍTULO ORIGINAL: Only the Animals
AUTORA: Ceridwen Dovey
GÊNERO: Drama
EDITORA: Darkside
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 240

SINOPSENós, humanos, nos achamos o máximo. Mas o que temos feito com o nosso mundo? "Só os Animais Salvam" é um livro que tenta responder a essa pergunta de maneira inusitada. Cada um de seus contos é uma fábula moderna, narrada por um bicho diferente, vítima de uma de nossas incontáveis guerras. Em meio ao caos, os animais conseguem encontrar esperança e inspiração numa das atividades mais significativas que nossa espécie já criou: a literatura. Ceridwen Dovey reúne fragmentos e personagens da obra de escritores imortais e nos faz sonhar o sonho dos inocentes. Só os animais salvam.

Oi pessoal! Hoje trago um livro que no começo foi um pouco confuso, tanto que o primeiro conto, o do camelo, não foi muito compreensível para mim mas os demais contos fluíram bem. Só os Animais Salvam traz 10 contos, que se passam em épocas de guerra (mais antigas e mais modernas), narrados pela ótica dos animais. São histórias dramáticas, algumas inundadas de amor, outras de rejeição e violência.

Meus contos preferidos:

Alma de Gata - passado na França e conta a história de uma gata acostumada a uma vida de luxo e é abandonada, encontrando refúgio entre os soldados de guerra, onde encontra outro gato, que já passou por sua vida um dia, quando ela era boa. Vemos a vida pelos olhos dos gatos e como eles se sentem com relação aos serem humanos.

Alma de chimpanzé - passado na Alemanha. Esse não foi dos preferidos mas coloquei aqui na lista pois me chocou demais. Conta a história de um chimpanzé que foi treinado para ser humano e se apaixona pela esposa de seu treinador. Ele estava em guerra e nesse tempo Peter (o chimpanzé) e Evelyn (a esposa) trocam cartas onde demonstram seu amor recíproco. Do mesmo modo, estava sendo treinada uma chimpanzé fêmea para fazer companhia a Peter. Esta, quando descobre o amor entre seu prometido e a humana, fica extremamente decepcionada. Achei bem bizarro...




Alma de cachorro - passado na Polônia. Para mim, o mais tocante pois mostra a total fidelidade do cão para com seu "Mestre" e vemos que, nesse caso, não foi recíproco. Fiquei arrasada...

Alma de tartaruga - iniciado na Rússia e terminado no espaço, um conto sobre solidão. Amei a história da tartaruga super viajada que foi animal de estimação de vários escritores famosos, como Tolstói, Virgínia Woolf e George Orwell.

Fiquei mexida com todas as histórias, especialmente com a última, Alma de papagaio... Esse livro nos faz refletir sobre as relações humanas com os animais, o amor incondicional que eles devotam a seus donos e que nem sempre devolvemos a contento. Percebemos o quanto eles sentem quando a morte está iminente o que me deixou bem pensativa.

Apesar de ter achado alguns contos bem chatos, o livro vale a pena ser lido pela possibilidade de reflexão que ele nos proporciona. E fora que a edição da Darkside está lindíssima! Mais uma para enfeitar minha estante!

Fica aqui mais uma dica. Se já leram, comentem e digam suas opiniões.

Beijos e até a próxima!




Olá pessoal! Vamos de filme hoje? Recentemente assisti a adaptação da obra de Stephen King, Jogo Perigoso, na Netflix. Estava bem ansiosa por ele pois achei o livro o máximo, que explora bem o psicológico da personagem principal (veja resenha do livro aqui).




Não vou fazer uma análise do filme, nem tenho conhecimento para isso. Só tenho a dizer que achei uma boa adaptação, bem fiel à história do livro sendo o final tão confuso quanto o original rsrsrs. Além de ansiosa estava um pouco receosa achando que o filme poderia se tornar chato e cansativo, visto que é focado em uma só personagem e em um só cenário, quase que 100% do tempo. Mas não foi isso que aconteceu. O filme flui muito bem e foi tão agoniante para mim quanto o livro e não deixou de fora aquele toque sobrenatural característico de King.

Segue o trailer para quem ainda não assistiu.




Agora esperemos a adaptação do conto 1922, a ser lançada também pela Netflix. Esse eu ainda preciso ler...

Deixem seus comentários aqui, na página do Facebook ou no Instagram, se já assistiram ao filme.

Beijos e até a próxima!!!!

O MISTÉRIO DE MARIE ROGÊT - 1842














Olá pessoal! Depois de um tempão com essa leitura paradinha, retomei os contos de Poe e o da vez é O Mistério do Marie Rogêt, segundo dos três contos que tem como investigador o detetive Dupin, precursor de Holmes. Pelo que andei pesquisando por aí, trata-se da primeira narrativa de Poe baseada em um crime real.

O caso se passa dois anos após Os Assassinatos na Rua Morgue, que resenhei mês passado. Pelo fato de Dupin ter-se tornado conhecido pela solução desse caso, é chamado para investigar o desaparecimento de Marie Rogêt, um linda moça que trabalhava em uma loja de perfumes e era bastante conhecida por sua beleza e doçura. O detetive acaba fazendo sua investigação baseando-se somente em publicações e depoimentos que saíram nos jornais.

As conclusões do detetive são geniais mas, pelo fato de o conto inteiro expor as contradições encontradas nas notícias por Dupin, o torna extremamente cansativo. Confesso que teve ocasiões em que pensei em abandonar a leitura. O que me segurou até o fim foi o fato de ter que terminar para escrever a resenha...




A peculiaridade deste conto é que Poe o escreveu a partir de suas próprias investigações a respeito de um crime real, o assassinato de Mary Cecilia Rogers, que aconteceu em 1841 em Nova Iorque. Assim como o detetive, ele se baseou em notícias de jornais, os quais tiveram seus nomes modificados no conto, trazendo-os ao cenário de Paris. O assassinato de Rogers nunca foi solucionado.

Para ser sincera não gostei muito desse conto pelo fato se ser bastante cansativo e também por não ter um desfecho. Entretanto, uma passagem dele me chamou muito a atenção, a qual transcrevo aqui para vocês:

"É notório que falo de coincidências e nada mais. O que disse antes sobre esse assunto há de ser suficiente. Em meu íntimo, não nutro fé alguma no sobrenatural. Que a Natureza e o seu Deus são dois, nenhum ser racional poderá negar. Que o segundo, sendo o criador da primeira, possa controlá-la e modificá-la ao seu bel-prazer também é ponto pacífico. Digo "ao seu bel-prazer" por ser uma questão de vontade, e não - como a insanidade da lógica supõe - de poder. Não que a Divindade não possa modificar suas leis, apenas creio que insultamos quando imaginamos uma possível necessidade de modificação. Em sua origem, tais leis foram forjadas para conter todas as eventualidades que o Futuro pode conter. Com Deus, tudo é agora."

Fica aí para reflexão.

Beijos e até a próxima!!!!

TÍTULO ORIGINAL: The Good Girl
AUTORA: Mary Kubica
GÊNERO: Thriller psicológico
EDITORA: Planeta
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 336

SINOPSE: Mia, uma professora de arte de 25 anos, é filha do proeminente juiz James Dennett de Chicago. Quando ela resolve passar a noite com o desconhecido Colin Thatcher, após levar mais um bolo do seu namorado, uma sucessão de fatos transformam completamente sua vida. Colin, o homem que conhece num bar, a sequestra e a confina numa isolada cabana, em meio a uma gelada fazenda em Minnesota. Mas, curiosamente, não manda nenhum pedido de resgate à família da garota. O obstinado detetive Gabe Hoffman é convocado para tocar as investigações sobre o paradeiro de Mia. Encontrá-la vira a sua obsessão e ele não mede esforços para isso. Quando a encontra, porém, a professora está em choque e não consegue se lembrar de nada, nem como foi parar no seu gélido cativeiro, nem porque foi sequestrada ou mesmo quem foi o mandante. Conseguirá ela recobrar a memória e denunciar o verdadeiro vilão desta história?


Olá pessoal, como estão? Estou voltando depois de um tempinho sem passar por aqui e por nenhum blog, desculpem-me. Passei por uma cirurgia e estou me recuperando... por isso estou lendo muuuuito e já consegui terminar mais um thriller psicológico surpreendente: A Garota Perfeita.

O livro conta a história do sequestro de Mia, uma professora de arte que não seguiu os padrões impostos por seu pai, um juiz conservador. Ela desapareceu misteriosamente e, meses depois, quado é encontrada em uma cabana, não se lembra de nada que aconteceu no cativeiro.

A narrativa alterna entre os pontos de vista da mãe de Mia, do sequestrador e do investigador do seu caso, antes e depois do acontecido e vamos compreendendo a história ao longo do vai e vem cronológico, conhecendo sua protagonista pelo ponto de vista das outras personagens.




Ao longo da narrativa parece que falta alguma coisa, e eu fiquei me perguntando o que seria, apesar de a história estar correndo bem certinha, e de acordo com o que eu estava esperando. E aí, somente no final do livro, descobri o que era... O desfecho é surpreendente, e você fica com aquela cara de OOHHHHHH, COMO NÃO PENSEI NISSO????

O livro me prendeu e me cativou, surpreendendo ao final e ficando no ranking dos meus thrillers prediletos. Recomendo muito para os fãs do gênero!!! É um livro que fala sobre ganância, desprezo, loucura, mas também, por incrível que pareça, sobre amor (só lendo para entender...)

Beijos e até a próxima!!!!




Olá pessoal! Esse mês de setembro foi bem mais contido do que agosto, também pudera, mês passado foi exagerado demais!

Livros novos trazem sempre muita alegria e adquiri dois títulos que já estavam na minha lista assim que lançaram, são eles:




Amor de Todas as Formas - Tatiana Amaral, M.S. Fayes, Raiza Varella, JC Ponzi, Mila Wander
Uma Viagem Inesperada - Babi Dewet, Melina Souza, Carol Christo, Pam Gonçalves

Por coincidência, são dois livros de contos que me atraíram porque: o primeiro fala de amor e o segundo tem personagens da Turma da Mônica Jovem. Tudo que eu adoro!!!!

E aí, gostaram? Comentem aqui se já leram algum deles.

Beijos e até a próxima!

TÍTULO ORIGINAL: Melodia Mortal
AUTOR: Pedro Bandeira
GÊNERO: Suspense
EDITORA: Fábrica 231
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 240

SINOPSESerá que Mozart foi assassinado por Salieri? Tchaikovsky morreu de cólera ou envenenamento? Chopin morreu mesmo tuberculoso? E Beethoven, foi vítima do alcoolismo? A resposta, ou, pelo menos, algumas hipóteses plausíveis para essas perguntas estão em Melodia mortal, estreia na ficção adulta de um dos maiores autores para o público juvenil do país. Escrito a quatro mãos por Pedro Bandeira com o médico Guido Carlos Levi, o livro examina, à luz dos conhecimentos da medicina contemporânea, os indícios possíveis sobre as mortes polêmicas de alguns grandes compositores da música clássica. E quem conduz a investigação é ninguém menos que Sherlock Holmes, auxiliado pelo seu fiel escudeiro, o doutor John H. Watson, que narra as aventuras do detetive na empreitada. Talvez não seja possível, tanto tempo depois, elucidar a causa dessas mortes que a medicina da época não foi capaz de precisar, mas a diversão é garantida neste romance cheio de teorias científicas e enigmas que formam um intricado quebra-cabeça, na tradição da melhor literatura policial.


Olá pessoal! Depois de uma semana sem publicar nada, aqui estou eu! Tenho lido bem devagar, o tempo está escasso e confesso que tenho andado com preguiça de ler... mas finalmente consegui finalizar essa leitura que durou 8 dias!!!!

Melodia Mortal é um livro de suspense que conta sobre as investigações de Sherlock Holmes e seus companheiro Dr. Watson, a respeito da morte de músicos famosos, que conta com seu grande poder de dedução. Por ser amante da música, Holmes tenta decifrar as reais causas das mortes de Chopin, Mozart, Beethoven, e outros grandes músicos. Muitos anos à frente, um grupo de médicos shorlockianos, fãs do detetive, se reúnem para analisar suas façanhas.




A ideia do livro me chamou muito a atenção mas, agora que finalizei sua leitura, sinto que não correspondeu às minhas expectativas. A história é divertida, a dupla Holmes/Watson sempre vem com suas tiradas inteligentes, mas as investigações não foram do jeito que eu imaginava. Na verdade, Sherlock Holmes, aproveitando outras investigações que iam surgindo, pegava o gancho e as ligava com algum dos músicos, conjecturando a respeito das possíveis causas de suas mortes. Então, de repente, a história vai para o ano de 2017, quando o grupo de médicos se reúne, sempre em comilança, e procuram chegar a uma conclusão sobre a causa da morte de determinado músico, de acordo com o que leram sobre o conto narrado por Watson. Tudo segue a mesma sequência, do primeiro ao sétimo capítulo.

A narrativa é ótima, o livro é divertido e possui muitos fatos históricos,  que o torna muito rico, mas, mesmo assim, me decepcionou.

Percebi que ultimamente não tenho amado tanto os livros que venho lendo... o que será que acontece?? rsrsrs Mesmo assim, fica a dica para quem é fã do detetive!

Beijos e até a próxima!!!!

TÍTULO ORIGINAL: The Cycle Of The Werewolf
AUTOR: Stephen King
GÊNERO: Terror
EDITORA: Suma de Letras
ANO DE LANÇAMENTO: Essa edição linda é de 2017 mas o livro é de 1983
NÚMERO DE PÁGINAS: 152

SINOPSEUMA CRIATURA CHEGOU A TARKER’S MILLS. AHORA DELAÉAGORA, OLUGARDELAÉAQUI
O primeiro grito veio de um trabalhador da ferrovia isolado pela neve, enquanto as presas do monstro dilaceravam sua garganta. No mês seguinte, um grito de êxtase e agonia vem de uma mulher atacada no próprio quarto. Agora,a cada vez que a lua cheia brilha sobre a cidade de Tarker’sMill, surgem novas cenas de terror inimaginável. Quem será o próximo? Quando a lua cresce no céu,um terror paralisante toma os moradores da cidade. Uivos quase humanos ecoam no vento. E por todo lado as pegadas de um monstro cuja fome nunca é saciada. Um clássico de Stephen King,com as ilustrações originais de Bernie Wrightson.



Olá pessoal! Novamente o mestre King presente aqui no blog! Muito amor por esse cara! E nada mais justo do que publicar uma resenha de um livro dele HOJE que é seu aniversário de 70 anos!!!! Parabéns, Mestre... (foi aos 45 do segundo tempo, mas tá valendo!)

A Hora do Lobisomem nos traz uma história que se passa durante um ano, dividida por meses, descrevendo a ocasião de cada ataque de uma criatura, da "Besta", à cidade de Traker's Mills. Uma criatura que mata suas vítimas, sem dó nem piedade.

O mistério todo está em descobrir quem é esse lobisomem, que ataca a cada lua cheia do mês e porquê ele faz isso. Temos o personagem principal da história, Marty Coslaw, uma criança de 10 anos que possui uma deficiência e depende de uma cadeira de rodas, mas que se mostra extremamente corajoso diante da situação. Ele sofre um ataque da criatura mas, a princípio, consegue enfrentá-la.




Mais uma vez King vem com a mensagem de que criamos nossos monstros como reflexo de nossos medos, porém cabe a nós enfrentá-los ou deixar que nos consumam.

É uma obra curta, de poucas páginas e rápida leitura. Em dois dias termina-se fácil. As ilustrações contidas nessa edição da Biblioteca King da Suma de Letras estão de apavorar. Muito lindas.

Leitura recomendada!

Beijos e até a próxima!

TÍTULO ORIGINAL: Vamos Pensar Um Pouco?
AUTOR: Mário Sérgio Cortella (ilustrado por Maurício de Sousa)
GÊNERO: Filosofia/Reflexões
EDITORA: Cortez
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 80

SINOPSEOs autores afirmam instigar e estimular o pensamento é nobre, ainda mais nos tempos atuais. 
Vamos pensar um pouco? Dá para notar que esse é convite muito diferente de Vamos pensar pouco? ... Esse um faz toda a diferença! 
Na vida cada um faz toda a diferença mas não basta ser apenas um; pensamos melhor quando pensamos em turma, e, melhor ainda, acompanhados da Turma da Mônica, que nos anima a pensarmos mais, com persistência e alegria, com generosidade e liberdade, com inventividade e criatividade. 
Esse é o principal motivo que juntou o desenhista (como o nosso genial Mauricio gosta de ser chamado), pai da turma, e o filósofo (Cortella), fã da turma, fazendo com que a arte da ilustração e arte da filosofia se encontrem para dialogar com quem acolhe esse convite.




Olá pessoal! Tudo certinho? A dica de hoje é filosófica. Logo que lançou esse livro eu já queria e nessa semana comprei com um mega desconto e li todinho! Juntou dois caras que admiro muito, Cortella e Maurício, meu ídolo de infância. E essa mistura não poderia dar mais certo.

O livro possui 35 reflexões sobre temas variados, por exemplo, liberdade, ética, medo... Cortella sempre deixa aquela mensagem que nos faz coçar a cabeça e pensar: "Putz, e não é que eu já agi assim? Será que estou fazendo a coisa certa?" E acompanhado dos desenhos da Turma da Mônica, que ilustram cada reflexão, é impossível não absorvê-las!




Não tem muito o que dizer sobre o livro, somente que ele tem que ser lido. Eu esperava encontrar uma linguagem mais para crianças mas não, deve ser lido, principalmente, pelos adultos. Meu filho de 8 anos, por exemplo, terá que esperar um pouco mais para ler e entender as mensagens nele contidas.

Recomendo muito! O livro é muito fofo, e não deve ser lido uma só vez. Pretendo relê-lo de tempos em tempos.

Beijos e até a próxima!!!

TÍTULO ORIGINAL: The Devil in The White City
AUTOR: Erik Larson
GÊNERO: Não ficção
EDITORA: Intrínseca
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 448

SINOPSEAssassinato, magia e loucura na feira que transformou os Estados Unidos. No final do século XIX os Estados Unidos eram uma nação jovem e orgulhosa, ávida por afirmar seu lugar entre as maiores potências mundiais. Nesse contexto, a Feira de Chicago de 1893 teve papel fundamental: tinha o objetivo de apresentar a maior e mais impressionante exposição de inovações científicas e tecnológicas já idealizada. A poucas quadras dali um prédio estranho e complexo nomeado Hotel da Feira Mundial era, na verdade, um palácio de tortura, para aquele que ficou conhecido como possivelmente o primeiro serial killer da história americana.



Olá pessoal, como estão? Depois de um certo tempinho, venho com uma leitura que foi meu primeiro contato com o autor e, confesso, foi bem arrastada, foram 12 dias lendo essa obra que é magnífica sim, mas não é o tipo de leitura que me prende. Vamos lá.

A história se passa em Chicago, em meados no século XIX e mostra todo o empenho da cidade em sediar a Feira Colombiana Mundial, realizada para comemorar os 400 anos do descobrimento da América por Colombo. Nos deparamos com uma riqueza de detalhes descritivos de todo o planejamento da feira, de todos os obstáculos enfrentados pelos profissionais envolvidos na sua construção, visto que ela deveria ser realizada para superar a Feira das Artes Decorativas de Paris, de 1884, onde a torre Eiffel foi inaugurada, provando assim que Chicago poderia fazer um evento que perdurasse na memoria das pessoas.

O livro é "dividido" em duas histórias distintas, mas ocorridas na mesma cidade, Chicago. A primeira delas conta sobre a saga de Daniel Burnham e seu grupo de renomados profissionais durante a construção da "Cidade Branca", como depois ficaria conhecida, onde deveria abrigar a Feira Mundial e desbancar a feira de Paris.




A outra, conta a história de H.H. Holmes que, percebendo que Chicago estava em expansão, decidiu mudar-se para lá, onde conseguiu um emprego em uma farmácia que, tempos depois, comprou por métodos nada corretos. Então, nos é apresentado o serial killer da história, que, sem dúvida, foi o que me segurou nessa leitura. Holmes era extremamente galanteador, conquistava facilmente as mulheres, que acreditavam em todas as suas promessas furadas. Sua farmácia prosperou, o que fez com que construísse um hotel próximo à "Cidade Branca" que, claro, vivia cheio de mulheres durante o funcionamento da feira. Sim, ele só admitia mulheres em seu hotel. Lá, ele construiu sua "máquina" de matar. Não vou contar aqui, pois seria spoiler. O autor, com base em muita pesquisa, mergulha fundo na mente do assassino sendo que muitas partes da narrativa são pontos de vista do próprio Holmes.

O livro é sim magnífico, com uma riqueza de detalhes surpreendente, cheio de fatos históricos e é uma história REAL. É difícil absorver que alguém como Holmes tenha realmente existido e cometido tantas atrocidades. Uma pena que, para mim, foi um leitura pesada e posso dizer, até chata. Não devorei como achava que devoraria e só terminei porque queria saber o que aconteceria com Holmes.

Para quem gosta de romances históricos, cheios de detalhes arquitetônicos e financeiros, é uma boa pedida.

Beijos e até a próxima!




Olá pessoal! Como estão? E vamos lá com o texto de setembro do projeto.


Precisamos conversar sobre... Felicidade

O que é ser feliz para você? É ter um bom carro, uma boa casa, ser bem sucedido no trabalho, ter uma família feliz, ter saúde? É ter realizado um sonho, viajar, conhecer muitas pessoas ao longo da vida? É poder ajudar alguém, doar um pouco do seu tempo em prol de outrem? Cada um tem seu conceito de felicidade.

Não importa qual é sua maneira, o importante é que VOCÊ se faça feliz. Jamais deixe que sua felicidade dependa dos outros porque ninguém deixaria de ser feliz por você. Não se prenda a tabus, quebre algumas regras sim (quem nunca?), ria muito, procure sempre estar perto de pessoas que passem boas energias. Pegue quem você ama e passe uns dias longe de tudo. Ou vá sozinho mesmo, se isso te faz bem.

A vida é muito curta. Aproveite-a o mais plenamente possível. É claro que nem todos os dias estamos bem, ou animados mas, nesses dias ruins, procure ver as coisas pelo lado bom.

Beijos e até a próxima!!!!

Olá pessoal! Como amiga da Editora Selo Jovem venho escrever sobre uma das obras da editora que, para mim, quando entrei no site, foi a que me chamou mais a atenção e instigou minha curiosidade, o livro O Assassinato da Presidente do Brasil. Abaixo, uma breve descrição sobre ele:


TÍTULO: O Assassinato da Presidente do Brasil
AUTOR: Cappatti
EDITORA: Selo Jovem
ANO DE LANÇAMENTO: 2015
NÚMERO DE PÁGINAS: 246










O CERTO E O ERRADO,
O MEDO E A CORAGEM,
O AMOR E O ÓDIO,
O DESEJO E A LOUCURA.
 
COM O QUE VOCÊ MAIS SE IDENTIFICA?
 
Em meio aos manifestos contra os escândalos políticos e desejo de impeachment da Presidente do Brasil, eles ouviram os pedidos de Basta!... Mas, ouviram outras vozes também. O ASSASSINATO DA PRESIDENTE DO BRASIL é o primeiro livro da trilogia ILUMINARE, uma obra inédita e instigante que lhe conduzirá por diversas emoções. Terás o gostinho de matar a Presidente? Alguém já disse que ler é levar a alma para passear, a presente obra promete acelerar os passos. O que será que se esconde por detrás das cortinas do Governo? E o que temos nas ruas, além da indignação popular? Seja a principal testemunha de tais revelações e presencie situações e romances acalorados, numa trama intensa sobre a tênue linha da ficção e a realidade. Mergulhe nas discussões de ordem comportamental, moral, ética, política e filosófica, resgatando polêmicas do passado e enfrentando as do presente.

E aí, ficou curioso? Eu fiquei muito!! Você pode adquirir no site da editora.

Beijos e até a próxima!!!!

TÍTULO ORIGINAL: Horror na Colina de Darrington
AUTOR: Marcus Barcelos
GÊNERO: Terror
EDITORA: Faro Editorial
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 144

SINOPSE: Em 2004, Benjamin Simons deixa o orfanato em que viveu desde a infância para ajudar alguns parentes num momento difícil:com sua tia debilitada e o tio trabalhando dia e noite, precisavam de alguém para tomar conta da sua prima Carla, de apenas cinco anos de idade.
No entanto, certa madrugada, a tranquilidade da colina de Darrington é interrompida por um estranho pesadelo, que vai tomando formas reais a cada minuto. Logo, Ben descobre-se preso numa casa que abriga mistérios, onde o inferno parece mais próximo e o mal possui uma força evidente.


Olá pessoal, como estão? Mais uma leitura nacional de ar-ra-sar!!! Juntou tudo nessa edição: meu gênero favorito, uma edição maravilhosa e a escrita fenomenal do autor. Marcus Barcelos realmente é muito bom! Não foi à toa que foi vencedor do Prêmio Wattys no Wattpad. Merecido! Vamos à história:

Benjamin Simons é um órfão que passou a vida morando no orfanato de St. Charles e tinha como únicos parentes tia Julia, Tio Romeo e as primas Amanda e Carla. Certa vez ele é convidado por seu tio a passar uma temporada na casa deles na Colina de Darrington, em New Hampshire para cuidar da priminha Carla, de cinco anos, pois tia Julia havia tido um derrame e estava em estado vegetativo, Amanda estava na Universidade e ele, trabalhando em dois empregos e ficando a maior parte do tempo fora de casa. Ben aceitou na mesma hora pois viu aí uma ótima oportunidade de tirar uma licença de seu emprego num pub e descansar um pouco, mas infelizmente ele estava completamente enganado...




O tempo passa e ele começa a notar comportamentos estranhos em sua priminha e vê que a casa esconde segredos cheios de terror. Percebe que Carla está correndo perigo pois há uma conspiração atrás dela e fenômenos sobrenaturais começam a acontecer. Ben é o único que pode salvá-la mas ele não distingue mais o que é real do que é imaginário.

Horror na Colina de Darrington é de tirar o fôlego. O autor está de parabéns pois conseguiu me envolver completamente na história, a descrição super detalhada das cenas faz você visualizá-las com perfeição. Além disso, a edição fenomenal traz ilustrações belíssimas, de dar medo... Essa é só um exemplo:




A capa está maravilhosa, as bordas pretas das páginas e o conjunto todo já faz você entrar no clima de terror antes de começar a ler. O autor se inspirou nos mestres King e Poe, portanto não é pouca coisa. A história não deixa pontas soltas, tudo se encaixa e fica mais realista com os recortes de jornais, transcrições de áudio e de telefonemas que intercala nos capítulos, dando algumas explicações a mais sobre a história. O livro é curto, tem 144 páginas que dá para devorar em um dia. Eu li em dois pois não posso ficar direto lendo, sem fazer mais nada da minha vida (bem que eu gostaria hahahaha). Ao final, fica bem claro que terá uma continuação (uebaaaaa!!!!)

Muito bom mesmo! Leitura recomendada! E viva a literatura nacional!

Beijos e até a próxima!!!

TÍTULO ORIGINAL: Always an Forever, Lara Jean
AUTORA: Jenny Han
GÊNERO: Ficção/Young Adult
EDITORA: Intrínseca
ANO DE LANÇAMENTO: 2017
NÚMERO DE PÁGINAS: 304

SINOPSE: Agora que chegou ao último ano do ensino médio, ela tem muito o que planejar: a visita da turma a Nova York, o baile de formatura e a tradicional viagem para a praia no dia seguinte - isso sem contar o casamento da pai com a Sra. Rotchschild. Mas não podemos esquecer o mais importante: o que Lara mais quer é ir para a universidade de seus sonhos com Peter, a menos de uma hora de casa, para poder visitar a família nos fins de semana e assar cookies com gostas de chocolate perfeitos.
Tudo está indo às mil maravilhas.
Pelo menos é o que Lara Jean imagina... até receber uma notícia inesperada.
Nesta história emocionante e surpreendente, a garota que odeia mudanças vai precisar repensar todos os seus planos. Quando o coração e a razão dizem coisas diferentes, qual deles se deve ouvir?



Olá pessoal! Coloquei minha fantasia de adolescente e li o terceiro e último livro dessa trilogia lindinha, fofa e super leve de Jenny Han. Não me decepcionei nem um pouco, amei tudo, assim como os dois livros anteriores, Para Todos os Garotos que já Amei e PS: Amo Você (para ler a resenha clique no nome dos livros).

Lara Jean está empolgadíssima em seu último ano no ensino médio, seu namoro com Peter Kavinsky vai de vento em popa, seu pai vai se casar com a vizinha, a Sra. Rothschild e sua irmã Margot vem passar as férias de verão em casa. Para tudo ficar mais perfeito só precisaria receber a sua aprovação para ingresso na Universidade da Virgínia, a UVA. Porém, nem tudo sai como planejado e ela é obrigada a lidar com sua nova realidade e aceitar seu futuro, afinal, certas coisas fazem parte de se tornar adulta.

A autora nos presenteia com o relacionamento único de Lara Jean e Peter (ai, que namorado perfeito!). Como eu disse na resenha dos outros dois livros, eu me interessei pelo primeiro livro por me identificar muito com Lara Jean, pelo fato de ela escrever cartas à seus amores, assim como eu fazia quando tinha a mesma idade dela. Só que me envolvi muito com a personagem e esse terceiro volume me fez me emocionar muito com a protagonista. Lembrei demais de quando entrei na faculdade, que meus planos não deram certo (queria estudar na mesma faculdade em que meu crush da época estudaria, mas não rolou.... buáááááá) e senti tudo de novo, como se tivesse 17 anos.




Mas tudo faz parte da vida e, assim como eu, Lara Jean também amadureceu. Nesse terceiro livro ela se mostra mais sensata, forte e determinada. Até na cozinha, onde ela já é ótima, conseguiu mais sucesso.

Agora e Para Sempre, Lara Jean deixa um gostinho de quero mais. Vou sentir falta dessa vida doce das irmãs Song e do perfeito Peter Kavinsky (que fez com que eu me apaixonasse mais ainda por ele rsrsrs). Jenny Han fechou a trilogia da melhor maneira possível. Vou ficar em uma ressaca literária agora e tristinha pois não haverá um quarto volume... snif. Vi que está vendendo o box da trilogia então quem não tem precisa ler e se apaixonar por essa história.

Beijos e até a próxima!!!!