Minhas leituras durante meus 5 dias de viagem de férias: O Rouxinol, de Kristin Hannah e Uma Curva no Tempo, de Dani Atkins. Duas histórias extremamente fortes e emocionantes. Haja coração!



SINOPSENo amor descobrimos quem queremos ser. Na guerra descobrimos quem somos. 
França, 1939: No pequeno vilarejo de Carriveau, Vianne Mauriac se despede do marido, que ruma para o fronte. Ela não acredita que os nazistas invadirão o país, mas logo chegam hordas de soldados em marcha, caravanas de caminhões e tanques, aviões que escurecem os céus e despejam bombas sobre inocentes. 
Quando o país é tomado, um oficial das tropas de Hitler requisita a casa de Vianne, e ela e a filha são forçadas a conviver com o inimigo ou perder tudo. De repente, todos os seus movimentos passam a ser vigiados e Vianne é obrigada a fazer escolhas impossíveis, uma após a outra, e colaborar com os invasores para manter sua família viva. Isabelle, irmã de Vianne, é uma garota contestadora que leva a vida com o furor e a paixão típicos da juventude. 
Enquanto milhares de parisienses fogem dos terrores da guerra, ela se apaixona por um guerrilheiro e decide se juntar à Resistência, arriscando a vida para salvar os outros e libertar seu país. 
Seguindo a trajetória dessas duas grandes mulheres e revelando um lado esquecido da História, O Rouxinol é uma narrativa sensível que celebra o espírito humano e a força das mulheres que travaram batalhas diárias longe do fronte. 
Separadas pelas circunstâncias, divergentes em seus ideais e distanciadas por suas experiências, as duas irmãs têm um tortuoso destino em comum: proteger aqueles que amam em meio à devastação da guerra – e talvez pagar um preço inimaginável por seus atos de heroísmo.


Chorei horrores no final. História forte, assim como todas que tem como pano de fundo a Segunda Guerra Mundial.
O livro conta a história de Vianne e Isabelle Mauriac, duas irmãs com temperamentos opostos, que se afastam durante a guerra, por terem visões diferentes em relação à ocupação dos nazistas.
A guerra provoca mudanças internas nas duas irmãs devido aos horrores que  tiveram que enfrentar nesses anos dominados pelos alemães.
É uma história de horror pela devastação da guerra mas também de amor, onde não se dimensionou limites para proteger as pessoas. 
Foi realmente difícil segurar as lágrimas, principalmente no final. Não vou detalhar nada sobre a história, senão acabo contando tudo aqui.
Leiam esse livro pois ele só reforça aquela velha frase que eu adoro: temos que amar as pessoas como se não houvesse amanhã (e dizer isso a elas).




SINOPSEA noite do acidente mudou tudo... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel está desmoronando. Ela mora sozinha em Londres, num apartamento minúsculo, tem um emprego sem nenhuma perspectiva e vive culpada pela morte de seu melhor amigo. Ela daria tudo para voltar no tempo. Mas a vida não funciona assim... Ou funciona? A noite do acidente foi uma grande sorte... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel é perfeita. Ela tem um noivo maravilhoso, pai e amigos adoráveis e a carreira com que sempre sonhou. Mas por que será que ela não consegue afastar as lembranças de uma vida muito diferente?

O que me chamou a atenção neste livro foi a tal segunda chance que foi dada à personagem principal. Eu gosto de histórias desse tipo. No decorrer da leitura, vi que o rumo da história foi para um lado onde, logo no quinto capítulo, desconfiei qual seria o final, mas mesmo assim, continuei firme, até mesmo para confirmar se eu estava certa.

A história começa quando acontece um acidente, em uma reunião de colegas de colégio, a última antes de todos irem para a universidade. Nesse acidente, Rachel se fere gravemente e seu melhor amigo morre e, para piorar o cenário, seu pai está com uma doença terminal. Ela consegue se recuperar, mas ficou com um feia cicatriz no rosto, terminou o namoro com o cara "perfeitinho" e o tempo em que passou no hospital a impediu de realizar o seu sonho de entrar na faculdade de jornalismo. Cinco anos depois, mora em um apartamento nada sofisticado em Londres e trabalha de secretária em uma empresa de engenharia.

Sua vida não era aquele glamour, mas Rachel estava conformada e acomodada com ela. Como sequela do acidente, sofria de fortes dores de cabeça, para as quais nunca buscou tratamento nem contou a ninguém, pois não queria preocupar mais seu pai.

Certa noite, Rachel quis, de qualquer forma, ir visitar o túmulo de seu melhor amigo, Jimmy. Devido à forte emoção sentida ao ver a última morada de Jimmy, ela tve uma fortíssima dor de cabeça, que a fez desfalecer e ser levada ao hospital. Mas, quando finalmente acorda, vê seu pai totalmente bom e fica sabendo que sua vida estava como sempre imaginou, ela era noiva de Matt (o perfeitinho) e havia se formado em jornalismo e trabalhava em uma revista. E aí que a história se desenrola...

Livro muito bom, emocionante e triste, porém teria sido melhor se eu não tivesse adivinhado o final antes de terminar rsrsrsrs

2 Comentários

  1. Gosto de livros que tem a Segunda Guerra como pano de fundo, apesar de acabarem comigo, já o segundo livro fui surpreendida pois nem passou pela minha cabeça, rs

    ResponderExcluir
  2. Leia O Rouxinol Cacá, é maravilhoso!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário se gostou da postagem. Se não gostou, também pode deixar...