TÍTULO ORIGINAL: The Drowning Girl
AUTOR: Caitlin R. Kiernan
GÊNERO: Ficção
EDITORA: Darkside
ANO DE LANÇAMENTO: 2014
NÚMERO DE PÁGINAS: 320

SINOPSE: Com uma narrativa intrigante, não linear e uma prosa magnífica, Caitlin vai moldando a sua obsessiva personagem. Imp é uma narradora não confiável e que testa o leitor durante toda a viagem, interrompe a si mesma, insere contos que escreveu, pedaços de poesia, descrições de quadros e referências a artistas reais e imaginários durante a narrativa. Ao fazer isso, a autora consegue criar algo inteiramente novo dentro do mundo do horror, da fantasia e do thriller psicológico.


Olá pessoal! Que livro difícil! Um dos mais difíceis que li até hoje. Como é complicado você entrar na cabeça de uma esquizofrênica, porque, cá entre nós, Imp não diz coisa com coisa...




India Morgan Phelps, mais conhecida como Imp, é esquizofrênica, filha e neta de esquizofrênicas que se suicidaram, e se denominava herdeira da "maldição da família Phelps". Decidiu escrever sua história de fantasmas, como assim chamava, que giraria em torno de uma obra que conheceu no museu da Escola de Design Rhode Island, quando tinha 11 anos. O livro inicia assim:

"Vou escrever uma história de fantasmas agora", ela datilografou. 
Uma história de fantasmas com uma sereia e um lobo", datilografou mais uma vez.
Eu também datilografei." (página 13)

Por aí você já sente a insanidade da história, que nada mais é do que Imp tentando entender o que aconteceu com ela, sua namorada e Eva Canning. E ela faz isso por meio de uma narrativa não linear, bem complicada para o meu entendimento. Tive que reler alguns trechos duas vezes para entender (?). Imp viaja pelas impressões de várias obras de arte, sendo as principais (e pelas quais ela tem obsessão) A Menina Submersa e Fecunda Ratis, das quais ela nos mostra uma visão muito profunda.

A memória de Imp prega peças e ela quase nunca tem certeza se os fatos que ela relata realmente aconteceram e ela sempre avisa o leitor de que aquilo pode ter acontecido, ou não.

"Quer dizer, se é que essa conversa realmente aconteceu. Quase parece que sim, quase, mas um monte de lembranças minhas são falsas, por isso nunca posso ter certeza, de um jeito ou de outro." (página 23)




Uma parte do livro que me impressionou bastante foi quando Imp decidiu para de tomar seus remédios, e a esquizofrenia atingiu o pico máximo de sua paranóia. Nossa, foi bem perturbador... uma hora Imp está na sua casa, em seu quarto e de repente a cena muda para a praia, sem explicação plausível.

Bem complicado escrever sobre esse livro pois ainda estou meio que sem saber o que pensar a respeito dele. Se eu recomendo? Não sei... rsrsrs Se você gosta de histórias desafiadoras que penetram na mente humana, acho que deve ler.

Se você já leu esse livro, deixe nos comentários a sua opinião sobre ele.

Beijos e até a próxima!

12 Comentários

  1. É a primeira vez que ouço falar sobre esse livro e no início da sua resenha, fiquei muito curiosa, por ser uma história que trás a esquizofrenia como tema principal, mas tenho um pouco de receio de ler e não entender. Porém, gosto de livros que me desafiam e achei super interessante o livro chegar em certa parte onde ela para de tomar seus remédios deve ser muito "foda". Fiquei muito curiosa. Obrigada pela dica!
    Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que deveria tentar, até para me falar sua opinião sobre ele.
      bjs

      Excluir
  2. Eu gostei do livro, mas fiquei com a mesma sensação que você, de não saber bem o que entendeu e o que não entendeu. A primeira metade eu levei bem de boa, quando ela começa a surtar as coisas ficam mais difíceis, mas acho muito legal que a autora tenha conseguido incomodar dessa forma com a narrativa, afinal, é uma doença se manifestando. Boa resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Isa! Eu gostei do livro também, só não curti a sensação que ele deixou em mim...
      bjs

      Excluir
  3. Eu queria muito ler esse livro, mas agora fiquei na dúvida. :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ficou na dúvida, então leia! rsrs
      Depois me conta o que achou... porque eu fiquei com uma sensação estranha sobre ele.
      bjs

      Excluir
  4. Oi Rê, embora eu sempre tenha visto esse livro sendo mencionado na blogosfera, nunca parei para ler nem a sinopse. Já li muita coisa e acho que nunca li nada parecido com isso. Entender a mente de esquizofrênico deve ser muito perturbador, ainda mais da protagonista que deixa de tomar a medicação. Fiquei curiosa para saber como esse tema foi desenvolvido.
    Beijos
    [SORTEIO]Baile Literário
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem confuso, mas ótimo para sairmos da zona de conforto.
      bjs

      Excluir
  5. Oi Rê, tudo bem? Eu tenho lido resenhas bem divididas sobre esse livro, tanto que estou sempre curiosa pra conferir e ter uma opinião melhor. Não sei se vou gostar, mas parece ser interessante ao menos rs Adorei a resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mi! Sim, o livro é interessante.
      bjs

      Excluir
  6. Oi Rê!!!
    O que posso dizer é que esse livro é para os fortes.. pensei em abandonar a leitura diversas vezes, mas algumas situações abordadas no livro me fizeram continuar.. até hoje não consegui fazer uma resenha. Mas tentarei assim que possível.
    Beijinho
    EVENTUAL OBRA DE FICÇÃO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Ro! A minha resenha ficou bem ruim pois é bem difícil fazer uma sobre ele...
      bjs

      Excluir

Deixe seu comentário se gostou da postagem. Se não gostou, também pode deixar...