TÍTULO ORIGINAL: The Ship of Brides
AUTOR: Jojo Moyes
GÊNERO: Romance
EDITORA: Intrínseca
ANO DE LANÇAMENTO: 2016
NÚMERO DE PÁGINAS: 384 (físico)



SINOPSE: "A Segunda Guerra Mundial acabou, e jovens esposas começam a buscar formas de reencontrar os homens com quem se casaram durante o conflito. Em Sydney, Austrália, quatro mulheres com personalidades únicas embarcam em uma extraordinária viagem a bordo do HMS Victoria, um porta-aviões que as levará, junto de outras mais de seiscentas noivas, além de armas, aeronaves e mil oficiais da Marinha, até a distante Inglaterra. As regras no navio são rígidas, mas o destino que reuniu todos ali, homens e mulheres atravessando mares, será implacável ao entrelaçar e modificar para sempre suas vidas."

Eu devo confessar que comprei esse livro pela capa. Sim, fui seduzida por algo que me chamou a atenção nela desde a 1ª vez que o vi exposto na única livraria existente na minha cidade. Sinceramente nem eu sei o que vi na capa. Isso não seria nada anormal se não fosse por um pequeno detalhe: Sofro de um mal terrível, chamado preconceito literário. Nada mais é que formar opiniões sem base em conhecimento próprio de leitura. E a autora do meu mais novo livro “crush” era Jojo Moyes. Que mal há em ser Jojo Moyes? A resposta estava explicita nessa mesma capa, ela é a autora de Como eu era antes de você.... Daí você poderia deduzir, com toda a razão, que eu não curti Como eu era blá blá, más não, eu nem o li. É aí que mora o mal de quem sofre de preconceito literário. Se o livro virar filme e o filme tem um apelo sentimental muito grande (leia-se: se vão usar pacientes terminais, ou doenças, em histórias de amores que está na cara que não vão rolar), eu deleto, e pior, julgo o autor posteriormente por isso... ou melhor, julgava. Após meses de uma batalha interna comprei O Navio das Noivas... E me apaixonei.

O livro conta a história quando a guerra termina, na hora em que os soldados são dispensados e voltam para casa, após anos de serviço. Só que muitos foram para muito longe, nesse caso Austrália, e ali, no calor da juventude e da imprevisibilidade do futuro, se apaixonaram e casaram. Então cabe ao governo Britânico levar essas esposas (muitos dos casais não chegaram a passar nem um mês inteiro juntos) ao encontro de seus maridos... Só com isso já se daria uma história muito boa, agora leve em conta o que era ser mulher em 1946. Ai meu bem as coisas complicam. Você vai conhecer um pouco desse mundo pelas lembranças de uma Senhora, que te faz embarcar nesse navio e ver um pouco da vida de 4 dessas esposas que embarcam rumo a um futuro desconhecido e incerto.

A parte que mais me marcou foi o recebimento de um telegrama por uma das quase 700 esposas que estavam a bordo. O marido simplesmente avisava que ela não era mais bem-vinda e o capitão a despacha no porto mais próximo de volta para casa! Um trecho de uma informação contida em um folheto distribuído para as esposas de guerra que está no capitulo 22 deixa bem claro como elas eram vistas: “Lembre-se que o Exército não a levará a destino algum sem antes verificar que “aquele homem” está à sua espera. Em resumo, considere-se uma encomenda postal registrada”. (E a gente reclama das nossas encomendas se extraviarem pelo Correios!)

O livro tem 384 páginas, 27 capítulos divididos em 3 parte o que é pouco, muito pouco. Quando termina você fica querendo saber mais, já que grande parte da história se concentra apenas nos 42 dias de viagem, e a vida das personagens seguiu cada uma um rumo após o desembarque, é impossível não achar as informações fornecidas pela autora muito pouco e deixar a imaginação decorrer sobre o que veio depois. (Um livro que faz você xingar o autor por ter economizado nas páginas é sempre um livro bom!)

Com a dose exata de romance para você que, assim como eu, está numa dieta restrita de “melação”, o Navio das Noivas foi a grande surpresa para mim nesse ano de 2016.

E sim, acrescentei “Como eu era antes de você” na minha lista de livros de 2017!

2 Comentários

  1. Olá Aline!
    Eu su fã da Jojo a não apenas por Como eu era antes de você, ela tem outros ótimos livros que valem a pena a leitura. Esse já está na meta de 2017, e a capa é linda mesmo. Achei a premissa da história muito boa, acredito que será uma ótima leitura.
    Adorei a resenha!
    Beijos :*

    Books & Impressions

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente tem algo encantador nessa capa não é Raissa! Como disse na resenha, pretendo me redimir com a Jojo e já estou de olho em outro para adicionar a lista! Que bom que gostou da resenha, fiquei realmente feliz! Vamos combinar de você ler esse e voltar aqui para trocarmos divagações sobre o destino das personagens!!! "Bjux"

      Excluir

Deixe seu comentário se gostou da postagem. Se não gostou, também pode deixar...